Bairros

25 motivos para amar o Morumbi

Os casarões imponentes, as ruas arborizadas, os prédios modernos e boas opções de compras e restaurantes conquistam moradores da região

Por: Ana Carolina Soares - Atualizado em

Natal-Iluminacao-Estaiada
Iluminação na Ponte Estaiada, um dos mais novos cartões-postais da cidade (Foto: Divulgação/Prefeitura)

O morador da cidade se acostumou a chamar de Morumbi toda a área vasta que se estende do Butantã ao Campo Limpo. Na verdade, a região abrange um conjunto de onze bairros. A área foi uma das últimas a ser urbanizadas na cidade. Até a década de 40, o local era conhecido como Fazenda Morumbi e pertencia ao inglês John Rudge, que trouxe o chá da Índia ao Brasil.

+ 25 motivos para amar a Vila Madalena

Em 1948, o engenheiro Oscar Americano comprou a propriedade e loteou. Como as quadras eram extensas e caras, as famílias ricas da cidade compraram. Desde então, ganhou fama de berço da classe alta paulistana. Hoje em dia, mostra-se um local com muitos contrastes: endereço de personalidades, como o apresentador Fausto Silva, mas também da classe média e pobres (há três favelas na região, uma delas, Paraisópolis, a quarta maior do país). O roteiro a seguir reúne as melhores atrações do pedaço:

+ 25 motivos para amar Pinheiros

1. Ao começar a urbanização no fim da década de 40, o engenheiro Oscar Americano se preocupou com a arborização de seus futuros bairros-jardins. Plantou um exemplar de cada uma das espécies da flora brasileira na área. Essa floresta urbana se reduziu ao longo dos anos no Morumbi (aliás, trata-se de um dos bairros com o maior número de lançamentos de incorporadoras), mas ele segue com imensas áreas verdes e ruas arborizadas. Por exemplo, quem circula pela Avenida Morumbi, uma das principais dali, ainda sente um clima mais fresco e um cheirinho de mato.

Parque Burle Marx
Parque Burle Marx (Foto: Divulgação)

2. Por causa de sua enorme área e das ruas íngremes, é quase impossível circular pelo Morumbi a pé. Vale a pena transitar pelos arredores, como a agradável região do Panamby. Logo na entrada, existe o Parque Burle Marx, projetado pelo famoso paisagista que deu nome à atração. Ali, há trilhas com espécies da Mata Atlântica, macaquinhos nas árvores e uma área deliciosa de piquenique. Aos sábados, aparecem food trucks no estacionamento.

paraisópolis
O artista plástico Berbela, que ganhou fama ao fazer as esculturas da abertura da novela 'I Love Paraisópolis' (Foto: Fernando Moraes)

3. Pela Avenida Hebe Camargo, dá para chegar a Paraisópolis, mega favela que virou até tema de novela da Rede Globo. A comunidade oferece um roteiro cultural interessante, passando por comércios e casas de artistas plásticos.

Shopping Jardim Sul
Shopping Jardim Sul (Foto: Divulgação)

4. A região é servida pelo Shopping Jardim Sul. O local se mostra pet friendly e raramente fica lotado. A exceção é a fila do cinema, da rede UCI, uma das melhores da cidade. Para a garotada, em janeiro rola a Corrida Maluca, um espaço na praça de eventos com uma pista de carrinhos de corrida inspirada no desenho da Warner Bros.

+ 25 motivos para amar a Pompeia

5. Para quem quiser tomar um chopinho no fim de tarde, a pedida é o Bar Bendito. No estilo “boteco chique”, lembra as casas da Vila Madalena, com mesinhas de madeira que avistam a rua. O chope Brahma é bem cremoso e custa 7,90 reais.

Bar Nossa Senhora
Bar-restaurante Nossa Senhora está hospedado em uma atraente esquina (Foto: Divulgação)

6. O bar-restaurante Nossa Senhora virou ponto de encontro de quarentões e cinquentões que fazem uma pausa no meio do trajeto trabalho-casa ou buscam uma refeição com clima mais relax no fim de semana. Para relaxar, os convivas elegem as mesas na área externa e pedem um chopinho tirado nos conformes (7,80 reais) ou um vinho da resumida carta, caso do espanhol Cosecheros y Criadores Infinitus 2012 (102 reais), corte de uvas tempranillo e cabernet sauvignon.

Palácio dos Bandeirantes
Palácio dos Bandeirantes (Foto: Leonardo Wen/Folhapress)

7. Vale a pena conhecer o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O local possui um rico acervo artístico, com obras de artistas como Portinari, Antonio Henrique, Djanira Motta e Silva e Aldemir Martins. Diversas dessas peças podem ser vistas durante as exposições temporárias. Ao longo das visitas, admira-se ainda o Salão dos Pratos e a Galeria dos Governadores. O passeio é de graça e acontece de terça a domingo, das 10h às 17h.

+ 25 motivos para amar o Ipiranga

8. Em frente ao palácio, encontra-se a Praça Vinícius de Moraes, onde o pessoal do bairro se exercita ou passeia com cachorrinhos. Possui uma pista de 1 500 metros de extensão, aparelhos de ginástica, mesas de piquenique e ampla área de concreto cercada por bancos, ideal para as primeiras pedaladas da garotada.

Casa Fazenda Morumbi
Casa da Fazenda (Foto: Divulgação)

9. Fique de olho na Casa da Fazenda do Morumbi, uma construção de 1813 tombada pelo Conpresp por conta da importância histórica, em uma área verde de 8 000 metros quadrados. Nos anos 50, serviu de cenário para o filme Sinhá Moça. Hoje, é usada como bufê para festas. Por isso, deve-se ligar em horário comercial para agendar uma visita (tel: 3742.2810). Mas vale a pena. O lugar tem ainda uma capela linda, projetada pelo arquiteto modernista Gregori Warchavchik.

Mostra na Casa de Vidro homenageia Lina Bo Bardi em 2012
Casa de Vidro (Foto: Veja São Paulo)

10. Vale muito a visita à Casa de Vidro, ícone da arquitetura moderna. É o primeiro projeto construído pela arquiteta Lina Bo Bardi (responsável pela planta do Masp). Serviu de residência para ela e o marido, Pietro Maria Bardi, colecionador de arte. Além da fachada imponente de vidro que parece flutuar sobre os pilares, ostenta um jardim de 7 000 metros quadrados. Os passeios rolam de segunda a sexta e precisam ser agendados pelo email educativo@institutobardi.com.br.

11. Ali perto, fica o Parque Alfredo Volpi, uma das áreas municipais mais tranquilas e limpas da cidade. Tem mais ou menos 140 000 metros quadrados, com pistas de cooper, caminhada e trilha em mata fechada.

+ 25 motivos para amar a Mooca

12. O Cemitério do Morumby se mostra o primeiro no formato parque da América do Sul. Exibe uma área de 300 000 metros quadrados e sepulturas de grandes personalidades, a exemplo do piloto Ayrton Senna, da cantora Elis Regina e do estilista Clodovil Hernandes.

Estádio do Morumbi
Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folha Imagem)

13. Independentemente do time pelo qual você torça, o Estádio do Morumbi, casa do São Paulo Futebol Clube, é uma visita obrigatória. Ali, ocorreram alguns dos principais shows da cidade (como Paul McCartney, Madonna e U2). Em fevereiro, será a vez dos Rolling Stones. Para os são-paulinos, há visitas guiadas, algumas até pelo ex-goleiro Rogério Ceni.

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano
Fundação Maria Luisa e Oscar Americano: casa dos anos 50 (Foto: Divulgação)

14. A Fundação Maria Luisa e Oscar Americano é um oásis de tranquilidade. Os frequentadores se deleitam com um lindo jardim, um salão de chá e um museu com pinturas, móveis e prataria, instalado dentro da antiga propriedade do casal Maria Luisa e Oscar Americano.

15. Admire a Ponte Estaiada (ou Ponte Octavio Frias de Oliveira, seu nome original). Um dos mais novos cartões postais da cidade foi inaugurado em 2008 e possui 138 metros de altura e 144 cabos de aço pintados de amarelo. À noite, uma iluminação colorida realça a construção.

+ 25 motivos para amar a Avenida Paulista

16. O Morumbi guarda bons restaurantes, com preço justo e costumeiramente sem filas. Especialmente rodízios japoneses. O Naoto Sushi (Rua Germano Ulbrich, 17, tel. 3742-2513) oferece degustação de seus pratos por preços de 44,90 reais (almoço de segunda a sexta) a 59,90 reais (jantar, além de fim de semana e feriados). No cardápio do restaurante Tadashii, vêem-se sushis exóticos (com ovas, mariscos e enguias, além de ostras) à vontade por valores de 65,90 a 82,90 reais.

Poncho Verde Churrascaria
Rodízio da Poncho Verde: entre os cortes disponíveis há picanha, costelão e bife ancho (Foto: Divulgação/Poncho Verde)

17. Quem gosta de carne pode procurar a churrascaria Poncho Verde, com decoração rústica e garçons vestindo roupas tipicamente gaúchas. Reúne um bom bufê de saladas e cortes de carne tradicionais a preços de 59 a 69 reais.

The Burger Lab Star - Burger Lab Experience
The Burger Lab Star (Foto: Fernando Moraes)

18. Lugar de contrastes, o Morumbi traz o hambúrguer mais barato e o mais caro da cidade. Este último custa 225 reais. Chamado lab star, sai das chapas da lanchonete Burger Lab Experience, com ingredientes nobres, do naipe de kobe beef — carne marmorizada de gordura extraída do gado japonês wagyu —, queijo gruyère, foie gras e trufas brancas.

+ Confira 25 motivos para amar o bairro de Moema

19. A apenas 1 quilômetro dali, fica a Padaria Portugália, com o cheese salada mais barato da cidade. Pasmem, custa 2 reais. Não é lá o melhor lanche de São Paulo, mas vale quanto pesa.

20. Duas padarias exibem os melhores sanduíches do pedaço. Com varandinha com vista para a Giovanni Gronchi, a Casa Blanca lota até altas horas da noite com um bufê de saladas e sopas. A Letícia (Avenida Doutor Guilherme Dumont Villares, 1497, telefone 2359-2456) se mostra bem concorrida no período do almoço. Possui boa variedade de sanduíches, salgados e doces.

era uma vez um chalezinho (Aramys Campos)
Era Uma Vez Um Chalezinho (Foto: Mario Rodrigues)

21. A decoração kitsch (tem corações nas cadeiras e até nas janelas!) marca o restaurante mais disputado da região. As filas de espera levam pelo menos meia hora no Era Uma Vez Um Chalezinho, point dos casais para degustar fondue, que custa em torno de 160 reais para duas pessoas.

Cervejaria Ô Fiô
Cervejaria Ô Fio: agradável jardim da entrada (Foto: Mario Rodrigues)

22. Quer um ambiente menos pomposo? Tem a Cervejaria Ô Fio, instalada em um casarão frequentado por um público acima dos 30 anos que curte uma cervejinha ao som de moda de viola ao vivo. No cardápio, encontram-se rótulos especiais, como a paulista Mula (24 reais, 310 mililitros).

+ 25 motivos para amar São Caetano

23. Outro ponto com clima descontraído é o restaurante Bananeira. Receptivo com as crianças, costuma atrair famílias fãs das receitas do chef Maurício Ganzarolli. Entrada simples, o rolinho de tapioca recheado de carne-seca (25 reais) precisa só de uma gota da potente pimenta da casa para ficar no ponto.

Cebola Outback
Cebola do Outback, um dos restaurantes do Portal do Morumbi (Foto: Helena Galante)

24. Ali perto, fica o Portal do Morumby. Reúne lojinhas diversas e o simpático Hortifruti do Campo. Há também um dos raros restaurantes Outback fora de shoppings.

morumbi shopping
MorumbiShopping (Foto: Divulgação)

25. O MorumbiShopping é um dos mais tradicionais da cidade. Fundado em 1982, conta com 483 lojas, entre elas, marcas a exemplo de GAP, Michael Kors, Ricardo Almeida, Animale e Forever 21.

Fonte: VEJA SÃO PAULO