Comemoração

Mostras para comemorar o Dia Mundial da Fotografia

Selecionamos seis exposições com obras fotográficas em cartaz em São Paulo

Por: Anna Carolina Oliveira - Atualizado em

Coleção de Fotografia Contemporânea da Telefônica
Praça de Roma retratada pelo alemão Thomas Struth: rigidez estética (Foto: Fernando Maquieira)

Dia 19 de agosto é comemorado o Dia Mundial da Fotografia. Para celebrar, listamos exposições na cidade com trabalhos fotográficos de artistas renomados. Veja abaixo:

  • O ponto de partida da mostra formada por 92 imagens é a série Bom Retiro e Luz: um Roteiro, realizada por Cristiano Mascaro para a Pinacoteca em 1976. Pertencente ao acervo do museu, o conjunto resulta de uma imersão de Mascaro no dia a dia dos dois bairros paulistanos, sobretudo nos costumes dos judeus da região. Com o intuito de retomar esse universo, o curador Diógenes Moura também selecionou fotos clicadas por Bob Wolfenson da sacada do apartamento onde ele vivia no fim da década de 70. Wolfenson retornou recentemente ao imóvel e registrou seus atuais moradores. Marlene Bergamo exibe cenas noturnas deste ano e dá um tom poético à solidão dos moradores de rua. Por fim, o coletivo Cia. de Foto faz intervenções em antigos retratos de família e apresenta o vídeo Marcha, sobre a movimentação dos passageiros na Estação da Luz. Até 02/10/2011.
    Saiba mais
  • Herdeiro da família imperial brasileira, João de Orleans e Bragança, também conhecido como dom Joãozinho, possui um valioso acervo de 781 fotos e negativos de seus antepassados. Cedido em regime de comodato ao Instituto Moreira Salles em 2009, o conjunto rendeu uma exposição com 170 obras registradas por nomes célebres, a exemplo de Marc Ferrez (1843-1923) e Félix Nadar (1820-1910), além de autores anônimos. Elas exibem o dia a dia de dom Pedro II e seu entorno tanto no poder quanto no exílio europeu que se seguiu à proclamação da República, em 1889. A maior parte da mostra se compõe de retratos oficiais de cunho mais sisudo. Sobressaem, no entanto, os flagrantes de momentos descontraídos, a exemplo da princesa Isabel e do marido, o conde d’Eu, com feições tranquilas e de mãos dadas perto da velhice, ou ainda dos filhos do casal andando de bicicleta. Já o imperador aparece fotografado por Nadar no leito de morte. De 20/07/2011 a 11/09/2011.
    Saiba mais
  • As várias maneiras pelas quais a luz se manifesta por meio da criação artística permeiam a mostra. Composta de dezoito nomes, a exposição tem curadoria de Eder Chiodetto, que, apesar de mais associado à fotografia, selecionou também instalações, esculturas, vídeos e uma pintura. Caio Reisewitz apresenta uma imagem em que discute a sensação de poder referente à imponente luminosidade do Palácio do Itamaraty. Rosana Ricalde arrisca ainda mais. Ela pendura páginas do romance Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago, e recorta todas as palavras associadas a escuridão e falta de visão, fazendo a claridade atravessar os espaços vazios e refletir-se na parede. Em Window, a dupla dinamarquesa AVPD utiliza um sensor para captar a energia do sol na rua e transmiti-la dentro do espaço expositivo através de lâmpadas. O mesmo duo tem um conjunto de combinações quase transparentes de acetatos contrapostos às clássicas Fotoformas, de Geraldo de Barros, próximas à abstração. Preços não fornecidos. Prorrogada até 10/09/2011.
    Saiba mais
  • Iniciado em 2002, o acervo mantido pela empresa espanhola reúne atualmente cerca de oitenta fotos clicadas entre 1973 e 2007. Foram pinçadas 36 delas para a mostra em cartaz no Instituto Tomie Ohtake. Bem fundamentada em textos explicativos, a montagem traça uma radiografia do gênero nas últimas quatro décadas e aborda questões como arquitetura, natureza, identidade e representação. Registros de performances rendem trabalhos da libanesa Mona Hatoum e da sérvia Marina Abramovic a respeito dos limites do corpo, explorados ainda nos retratos da americana Cindy Sherman. O belga Francis Alÿs acompanha as diferenças na incidência do sol sobre uma praça durante doze horas, enquanto Miguel Rio Branco lança mão de seu estilo poético nos espaços vazios do políptico Perseverança. Conhecida pela rigidez composicional das paisagens, a Escola de Düsseldorf é lembrada por Thomas Struth e pelo casal Bernd e Hilla Becher. De 15/07/2011 a 18/09/2011.
    Saiba mais
  • Resenha por Jonas Lopes: Ligado ao universo da moda, o fotógrafo americano apresenta USAnatomy. Integram a seleção 87 imagens. Elas retratam celebridades como Madonna, Justin Timberlake e David Beckham. De 11 a 28/08/2011.
    Saiba mais
  • Exibida recentemente na 1500 Gallery, em Nova York, a mostra Berlinscapes, do paulistano Tuca Vieira, chega a São Paulo. O fotógrafo ligado a arquitetura e urbanismo exibe o resultado de uma residência artística de três meses em Berlim. Todas as imagens foram clicadas à noite, e entre os cenários presentes nas treze obras estão edifícios e um parque de diversões da antiga Alemanha Oriental abandonados e o aterrador Memorial aos Judeus Mortos da Europa, o Memorial do Holocausto, coberto de sombras. Eles surgem vazios, contaminados por uma impressão ao mesmo tempo lúgubre e atraente, e parecem transportar o espectador para uma realidade paralela, não documental. Formado em letras com habilitação em alemão pela USP, Vieira assume a influência em sua produção de escritores de inflexão fantástica, a exemplo de Franz Kafka e de Jorge Luis Borges. Preços não fornecidos. De 29/07/2011 a 30/08/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO