Exposição

Mostra inaugura novo espaço da Galeria Transversal

Dezoito artistas apresentam suas obras na abertura, entre eles, os pintores Miguez e Monteiro, integrantes do Casa 7

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Fabrício Lopez, Galeria Transversal, Vila Madalena
Gravura de Fabrício Lopez (Foto: Divulgação)

Prestes a completar dois anos de atividade na Barra Funda — foi inaugurada em abril de 2011 —, aTransversal preparou uma boa novidade para o público paulistano. A galeria abre no sábado (2) uma nova sede, na Vila Madalena, bem próxima às concorrentes Fortes Vilaça, Millan e Raquel Arnaud. O imóvel, maior que o anterior, possui 400 metros quadrados e pé-direito de 4 metros. O antigo espaço ficará reservado para eventos especiais. “Agora temos condições de organizar duas exposições simultaneamente, e mesmo de pensar em coisas de maior porte”, diz João Grinspum Ferraz.

Norbert Schwontkowski, Galeria Transversal, Vila Madalena
Tela de Norbert Schwontkowski (Foto: Divulgação)

Com apenas 30 anos, o colecionador, filho do arquiteto Marcelo Ferraz e afilhado de Lina Bo Bardi, comprou as partes de seus antigos sócios e agora é o único dono do negócio. O bom momento acompanha a chegada de nomes importantes ao catálogo da casa, como Fábio Miguez, Paulo Monteiro e Elisa Bracher. A mostra de estreia, batizada de Coletiva Galeria Transversal, reúne dezoito dos vinte artistas representados por ela.

Chama atenção na escalação, sobretudo, o elenco de pintores. Miguez e Monteiro, integrantes do grupo Casa 7 egressos da geração que retomou o pincel na década de 80, dividem espaço com os jovens talentos Ana Prata, de pegada mais figurativa, e Felipe Góes, dedicado à abstração. Ainda no território das telas, vale a pena apreciar o ótimo trabalho de cores dos alemães Norbert Schwontkowski e Marlon Wobst. A gravura aparece em obras do experiente Claudio Mubarac e da revelação Fabrício Lopez, de Santos, especialista em painéis enormes de xilogravura. Outros destaques são o fotógrafo de arquitetura Nelson Kon e a escultora Ester Grinspum, tia do galerista.

Fonte: VEJA SÃO PAULO