Cinema

Mostra Internacional de Cinema: luz, cores, ação!

A partir de sexta (23), a Mostra Internacional traz 424 filmes a 23 salas

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Mostra Internacional de Cinema: luz, cores, ação! Foto 2
(Foto: Veja São Paulo)

Dez funcionários que trabalham para a Mostra Internacional de Cinema decidiram fazer um bolão. Eles apostaram qual seria o número de filmes exibidos neste ano, já que os organizadores do evento, Leon Cakoff e Renata de Almeida, prometeram fazer uma seleção mais enxuta. Como acreditaram na promessa do casal, alguns chutaram baixo. Seis cravaram em torno de 300 e logo saíram do páreo. Apenas um pouco menor do que a de 2008 — quando 453 fitas foram exibidas —, esta 33ª edição trará, a partir de sexta (23), 424 produções, de 57 países, a 23 salas da cidade. A novidade do circuito fica por conta da entrada do Marabá, no centro.

Entre títulos já famosos e desconhecidos, despontam para conquistar grandes plateias aqueles premiados em festivais. De Cannes vem A Fita Branca, que deu ao austríaco Michael Haneke a Palma de Ouro. Já do recente Festival de Veneza a Mostra traz o Leão de Ouro (Lebanon) e o Prêmio do Júri (Soul Kitchen). Como A Teta Assustada, vencedor do Urso de Ouro em Berlim, já estreou, a competição alemã estará representada pelo Urso de Prata de melhor ator, para o malinês Sotigui Kouyaté, de London River — Destinos Cruzados.

Cineastas consagrados, a exemplo de Pedro Almodóvar (Abraços Partidos), Ang Lee (Aconteceu em Woodstock) e Jane Campion (Brilho de uma Paixão), batem cartão com seus novos trabalhos. À frente das câmeras, haverá o derradeiro suspiro de Heath Ledger (1979-2008) no malucão O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus. Viúva de François Truffaut, a diva francesa Fanny Ardant ganha uma breve retrospectiva. Ela estará na cidade de 2 a 4 de novembro para apresentar Cinzas e Sangue, sua estreia como diretora. Do passado, a Mostra resgata, em cópia restaurada, o clássico Inferno, estrelado por Romy Schneider e dirigido por Henri-Georges Clouzot em 1964, além de oito longas-metragens do grego Theo Angelopoulos (A Eternidade e Um Dia). Também merece atenção a Suécia: do país de Ingmar Bergman, do Abba e do terror Deixa Ela Entrar virão 32 filmes e catorze representantes, entre realizadores, produtores e empresários do ramo.

33ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA. De segunda a quinta, os ingressos custam R$ 14,00; de sexta a domingo, R$ 18,00. A permanente integral, que dá acesso a todas as sessões e está sendo vendida no Conjunto Nacional (% 3266-5549/5490), sai por R$ 390,00; para assistir somente às sessões vesperais (até 17h55), de segunda a sexta, o preço cai para R$ 90,00. Há pacotes com vinte (R$ 165,00) e quarenta (R$ 285,00) ingressos de livre escolha. No Centro Cultural São Paulo, Faap e vão livre do Masp, a entrada é grátis.

Fonte: VEJA SÃO PAULO