Crianças

Mostra de Repertório da Cia. do Quintal tem cinco peças para a garotada

Espetáculos teatrais tomam conta do Sesc Pompeia de quinta (9) a domingo (12)

Por: Meriane Morselli - Atualizado em

Los Kamaradas - 2194
Allan Benatti e Marcio Ballas em 'Los Kamaradas': amigos que se reencontram (Foto: Betty Teto)

Especializada em espetáculos teatrais que misturam improviso e técnicas de palhaço, a Cia. do Quintal criou dez peças, cinco delas infantis, ao longo de seus oito anos de estrada. Todas essas montagens tomam, de quinta (9) a domingo (12), o Sesc Pompeia na Mostra de Repertório da Cia. do Quintal.  

Rubra Pop Show - 2194
'Rubra Pop Show', com Lu Lopes: aventura musical (Foto: Daniel Mantovani)

Para as crianças, a programação começa no sábado (11), às 13h, com “Rubra Pop Show”. Nessa aventura musical, apresentada no teatro, as brincadeiras comandadas pela atriz Lu Lopes ganham a companhia de canções populares e de autoria própria, executadas pela Banda Matinê. Em seguida, é a vez de “Adão e Gastão”, às 15h30, na área de convivência. Os atores Paulo Federal e Danilo Dal Farra interpretam dois palhaços e incentivam a plateia a mostrar o seu talento. 

O Mágico de Nós - 2194
'O Mágico de Nós': a plateia dá pitacos na famosa história de Dorothy (Foto: Edson Kumasaka)

No domingo (12), no mesmo espaço e horário, Marcio Ballas e Allan Benatti mais o músico Marco Gonçalves levam “Los Kamaradas”. A montagem enfoca o reencontro de dois amigos, que se lembram dos tempos de escola e conversam sobre seus sonhos, entre outros assuntos. Às 17h, ainda na área de convivência, “Sacoletras” traz o palhaço Olímpio (Cláudio Thebas), que tira bugigangas de uma sacola e cria histórias e poesias na hora. Fecha a porção infantil da mostra no teatro, ao meio-dia, “O Mágico de Nós”, baseado na conhecida história de Dorothy (Paola Musatti). A menina perdida no mundo de Oz junta-se a Espantalho (Ernani Sanches), Homem de Lata (Eugênio La Salvia), Leão (César Gouvêa) e ao cão Totó (Daniel Aires) para estimular a garotada a contribuir com sugestões e mudar o rumo da narrativa.

Fonte: VEJA SÃO PAULO