memória

Morre o historiador Nicolau Sevcenko aos 61 anos

Segundo familiares, a suspeita é de que a causa da morte tenha sido um infarto

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

O historiador Nicolau Sevcenko morreu na noite desta quarta-feira (13), por volta das 20h, em sua casa em São Paulo. Ele tinha 61 anos. A família, que confirmou a informação, suspeita que a causa da morte tenha sido infarto.

 

Autor de mais de uma dezena de livros, entre eles obras de referência como A Revolta da Vacina (1983) e Literatura como Missão (1985), Sevcenko deu aulas na USP, na PUC de São Paulo e na Unicamp.

Graduou-se como historiador na Universidade de São Paulo, onde também defendeu o doutorado e concluiu, em 1992, a livre-docência com a obra Orfeu Extático na Metrópole, sobre as transformações tecnológicas que afetaram São Paulo nos anos 1920.

Em 1998, recebeu o Prêmio Jabuti, na categoria ciências humanas, pelo trabalho como organizador do livro História da Vida Privada no Brasil.

Foi membro honorário do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Londres e do conselho editorial da revista Travessia, do King's College de Londres.

Filho de imigrantes ucranianos, Sevcenko nasceu em São Vicente, no litoral de São Paulo, em 1952. Dedicou a sua carreira acadêmica ao estudo da história brasileira, com destaque às manifestações culturais no país.

Ele deixa a mulher, a  editora Cristina Carletti. Os dois não tinham filhos. Informações sobre o enterro ainda não foram divulgadas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO