Mistérios da Cidade

Moinho Central: toneladas ao chão

Edifício teve que ser implodido devido a ameaça de desabamento após incêndio em favela

Por: Maurício Xavier [com reportagem de Flora Monteiro e Pedro Henrique Araújo] - Atualizado em

Mistérios da Cidade 2251 Moinho Central
Implosão do Moinho Central: impacto derrubou apenas dois andares (Foto: Vilma GonçalVes/Secom)

Cerca de 800 quilos de dinamite distribuídos por 2.200 furos foram usados na implosão do Moinho Central, em Campos Elíseos, no domingo (1º). Mas o impacto só derrubou dois andares: os quatro restantes serão demolidos por operários. Sua estrutura de 20.000 metros quadrados estava ameaçada de desabamento desde o incêndio na favela do Moinho, no dia 22. Relembre outras duas implosões marcantes (e completas):

+ Parque da Juventude convive com a memória do Carandiru

+ Edifício São Vito será demolido para virar asfalto

+ Construído sobre um lixão, Shopping Center Norte vira área de risco

Edifício Mendes Caldeira
(Foto: Carlos Namba)

Edifício Mendes Caldeira

A primeira na capital, em 16 de novembro de 1975: os trinta andares abriram espaço para a estação Sé do Metrô

Mistérios da Cidade 2251 Carandiru
(Foto: Robson Fernandes/AE)

Carandiru

Três pavilhões do presídio do massacre de 1992 vieram abaixo em 8 de dezembro de 2002; hoje o local abriga o Parque da Juventude

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO