Pets

Mini-pigs são a novidade entre os animais de estimação

Porquinhos são criados em casa e seus defensores garantem: eles são mais limpinhos do que um cachorro

Por: Alessandra Freitas

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Na casa onde mora, no Tucuruvi, na Zona Norte, a porquinha Safira, de 5 meses, é paparicada: possui um guarda-roupa só dela, com pingentes brilhantes para colar na testa, vestidos e fantasia da Branca de Neve. “Ela é carente, então a pego sempre no colo e dou carinho o tempo todo”, entusiasma-se a estudante Taislaine Lima, de 21 anos. A turma de fãs da espécie inclui ainda gente como os publicitários Andrea Mendes e Domenico Massareto, para os quais deixar de ter bacon na despensa não foi a única mudança trazida por Jamón e Nero.

+ Prefeito sanciona lei que permite transporte de animais domésticos em ônibus

+ Treinador Gilberto Miranda abre sua casa cheia de animais para palestras

Depois da aquisição dos pets, o casal se mudou de uma cobertura na Lapa para uma casa na Vila Madalena com ampla área externa. “São mais limpinhos que cachorro e fazem as necessidades sempre no lugar certo”, garante Andrea. Linhagem de suínos selecionada para não crescer, os mini-pigs atingem 35 centímetros na idade adulta, metade da altura de um porco comum.

A coisa chegou aqui por influência de fora, graças ao sucesso do desenho inglês Peppa Pig e pelo fato de essas mascotes terem sido adotadas por celebridades como a socialite Paris Hilton e a cantora Miley Cyrus. “Temos fila de espera”, diz a criadora Flávia Heesch. Em seu sítio, em São Roque, a 60 quilômetros de São Paulo, foram vendidos 230 filhotes no ano passado, o dobro de 2013. O preço ali vai de 1 000 a 2 000 reais (os rosados, parecidos com cofrinhos, custam mais caro). A veterinária Débora Bellini explica que, em relação à saúde, não há muito com o que se preocupar. Basta vaciná-los uma vez por ano e aplicar uma dose de vermífugo a cada seis meses. “Não transmitem mais doenças que gatos e cachorros”, afirma.

+ Cachorro é chutado por homem e “se vinga” do agressor de forma inesperada

O biólogo Sérgio Rangel, porém, alerta para o fato de que não se trata de um pet adequado para apartamento, por precisar de espaço e emitir altos grunhidos. “O ideal é ter um bom quintal, pois os porquinhos gostam de brincar na terra ou na água”, diz. Além de frutas e legumes, os mini-pigs consomem uma ração de coelho que custa 20 reais o pacote com 5 quilos. Outro ponto importante: há quem venda, especialmente na internet, porcos comuns como se fossem de miniatura. “Adquiri a Bisteca em uma fazendinha e, aos 4 anos, ela estava com 230 quilos”, conta a veterinária Evelizi Fernandez. Assim, não há fã de Peppa Pig que aguente.

Fonte: VEJA SÃO PAULO