Crônica

Ô, meu santo

Por: Ivan Angelo - Atualizado em

Meu São Judas das causas impossíveis, obrigado por ter atendido a três pedidos que para mim seriam inalcançáveis sem sua voz poderosa junto ao Pai. Primeiro, me livrou das dívidas que me faziam escorregar ladeira abaixo na vida; segundo, me deu um casamento com um homem que não bebe, não me trai e não me bate, logo eu, meu santo, que já não era nova e tinha um filho virando problema; e, terceiro, construiu nossa casa, tijolo por tijolo abençoado, mas agora, meu santo, me ouve mais uma vez, pede por mim ao Pai mais uma graça, arranja um emprego pro meu marido e tira meu filho da mão do tráfico, porque lá, em bairro de pobre, é só o que se vê, marido sem trabalho e filho prestando vestibular pra Febem.

Meu santo padroeiro dos funcionários, continuo a esperar a graça que ainda não recebi, está lembrado? Tirar aquele chefe do meu caminho: me mude de seção, ou mude ele. Vim antes do dia 28 porque no ano passado tinha 350 000 pessoas pedindo, e eu acho que foi por isso que não fui ouvido.

Agradeço, meu São Judas Tadeu e meus outros santos protetores, agradeço as graças alcançadas: trabalho, saúde para Lurdinha, Rute, Quiqui, Ju e proteção para a minha casa e para a da minha mãe, proteção para o carro de Lurdinha e Rute contra roubo, que não podemos ficar sem ele, é a nossa condução, e também peço um dinheirinho extra para pagar as dívidas da prestação atrasada, senão a gente perde a televisão e o microondas, e peço também pra nos livrar da inveja e afastar os nossos inimigos e ajudar o namoro da minha filha Rute, sendo o mais urgente a prestação.

Peço, apóstolo Judas, um dos doze, chamado Tadeu, primo-irmão de Jesus, que o nomeou para as causas mais difíceis, irmão do apóstolo Tiago, o primeiro bispo de Jerusalém, sobrinho muito querido de José e Maria, filho de Maria Cleofas, prima de Maria, uma das mulheres que estavam ao pé da Cruz, evangelizador da Galiléia e de Samaria, tio de João, o Evangelista, peço que, com o teu prestígio, por tantos serviços prestados e tão poderoso parentesco, me dês proteção contra graves ameaças, tais como a de seqüestro da minha pessoa e de meus familiares, que já por duas vezes quase se consumou, de assaltos a mão armada nas esquinas, dos quais escapei por ter blindado o carro, de concussão dos fiscais do governo que rondam minha empresa, de piratas que copiam cartões de banco, de gatos que subtraem saldos bancários via internet, de quadrilhas que promovem arrastões em condomínios – ô, meu santo, dá-me a proteção de que por ser rico não sou menos merecedor.

Meu santo das causas trabalhosas, por muitos anos o sonho da nossa família foi ter uma casa própria, ficarmos livres do aluguel e da ameaça de um dia dormir na rua, e com a vossa ajuda conseguimos o financiamento do CDHU, mas as dificuldades foram muitas, e tantas, e tais que meu marido ficou doente, caiu da laje, e o dinheiro dele apoucou, o do meu filho Tadeu, cujo nome botei em vossa homenagem, meu santo dos impossíveis, também apoucou porque ele se casou já em via de ter filho, e o dinheiro que a Terê dava em casa também se apequenou, porque ela perdeu o amigo que ajudava ela, e o meu do mês é cada vez menos em virtude de ir perdendo serviço, e então não pudemos mais pagar a casa, a dívida foi crescendo, crescendo, e agora está impossível de tirar o atraso, com juro em cima de juro, por isso nós pedimos, meu São Judas, que dê certo a negociação dos juros de 12% para 3%, sem o que nós vamos ter de desistir e ir para o olho da rua.

São Judas, primo de Jesus, que reverenciamos no dia 28, véspera da eleição, juntai forças com Santa Rita de Cássia, Santo Expedito, Santa Edwiges, Santo Ambrósio, Santa Teresinha, Senhora Aparecida e São José, para nos ajudar a escolher um presidente que olhe por nós, porque o que eles querem nós sabemos e não sabemos se eles sabem o que nós queremos, amém.

Fonte: VEJA SÃO PAULO