Crianças

Peça "Menina Nina" trata a morte de forma tocante e realista

Comovente trama foi lançada originalmente como livro por Ziraldo, em homenagem à sua falecida mulher

Por: Clara Nobre de Camargo

Menina Nina - 2211
Selma Egrei e Pietra Pan: comovente história sobre amizade entre avó e neta (Foto: Cacá Bernardes)

Depois de perder a mulher, Vilma, em 2002, o cartunista Ziraldo lançou um livro para homenageá-la. Com o título “Menina Nina — Duas Razões para Não Chorar”, a publicação ganha agora uma versão para o teatro infantil, adaptada por Elzemann Neves e dirigida por Joaquim Goulart.

A comovente trama narra a relação de afinidade entre Vivi (a ótima atriz Selma Egrei) e a neta Nina (Pietra Pan). Inseparáveis, elas dividem o cotidiano com o avô Ziraldo (interpretado por Luciano Chirolli) e a mãe da garota, Alice (Jeanne de Castro). Os parentes sempre se surpreendem com as boas tiradas de Nina e o entusiasmo da idosa diante da vida.

Quando chega o momento da morte de Vivi, a menina precisa compreender a situação e encontrar meios de superar a dor com a ajuda da família. Concebido por Daniela Thomas, o criativo cenário branco de contornos pretos engana os olhos e parece transportar os personagens para dentro de uma história em quadrinhos.

De maneira leve e sutil, o texto aborda o delicado tema de forma realista — sem enganar, chocar ou aborrecer a plateia mirim. Valem, porém, dois avisos: 1) as crianças maiorzinhas, com mais de 7 anos, aproveitam melhor o programa; 2) vá preparado para se emocionar e derramar algumas lágrimas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO