Mistérios da Cidade

Memória paulistana: a loteca da Santa Casa

No início do século XIX, hospital se encarregou de criar os sorteios na cidade

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Isabella Villalba e Nathalia Zaccaro]

Bilhete da Loteria da Santa Casa - MISTÉRIOS 2226
Bilhete de loteria: os apostadores desembolsavam 4.000 réis pelo papel (Foto: Divulgação)

A primeira loteria da cidade não foi bancada pelo governo. No início do século XIX, quem se encarregou de criar os sorteios foi a Santa Casa da Misericórdia. Os apostadores compravam bilhetes pelo valor de 4.000 réis e concorriam a prêmios de até 100 contos de réis. O montante arrecadado reforçava o caixa do hospital.

+ Marcos da história de São Paulo

+ Walcyr Carrasco: crônica Quase Rico

+ Xaveco Virtual: nossa ferramenta para paquerar no Twitter

Quase 200 anos depois, a instituição voltou a recorrer a uma ideia semelhante, iniciando em fevereiro a campanha Santa Casa Dá Sorte. O negócio está vinculado à Mega-Sena. Metade do valor do bilhete de 4 reais vai para a Santa Casa — e o restante serve para bancar a aposta no concurso da Caixa. A promoção deve ocorrer até o início de 2012 e a renda promete ser revertida para reformas na enfermaria da irmandade.

Fonte: VEJA SÃO PAULO