Memória

Panamericana: meio século de vanguarda

Após surgir em um casarão, a escola se tornou célebre por ocupar prédios de arquitetura arrojada

Por: Mauricio Xavier - Atualizado em

Panamericana - Rua Augusta
Pioneirismo: a faixada da primeira sede, na Rua Augusta (Foto: Reprodução/ A Ideia Panamericana)

Na época de sua fundação, em 7 de abril de 1963, a Panamericana Escola de Arte e Design ocupava seis salas em um sobrado na Rua Augusta, onde oito professores ministravam quatro cursos: pintura, desenho, história em quadrinhos e caricatura. Sua concepção teve a colaboração do cartunista Ziraldo. O fundador e atual presidente, o artista plástico Enrique Lipszyc, foi até o Rio de Janeiro para convidá-lo a participar da empreitada.

Outros que integraram essa trajetória foram Aldemir Martins e Massimo Picchi. Entre os ex-alunos está Vik Muniz. Dos eventos realizados nesses cinquenta anos, destaca-se o Congresso Internacional de Histórias em Quadrinhos que, em 1974, recebeu Lee Falk, criador do Fantasma e do Mandrake.

Após deixar o casarão de estilo clássico em 1966, a Panamericana passou a ocupar prédios de arquitetura ousada, como o de fachada construtivista idealizado por Mário Boccara na Rua Conselheiro Brotero, entre 1974 e 1985. As sedes atuais estão na Avenida Angélica e na Rua Groenlândia, sendo essa última conhecida pela pirâmide projetada pelo arquiteto Siegbert Zanettini em 1989.

Fonte: VEJA SÃO PAULO