Memória

Festas juninas mais antigas da capital foram realizadas por imigrantes

Além dos tradicionais quentão e pinhão, bolinhos de bacalhau eram servidos na comemoração de São João

Por: Mauricio Xavier

Festa Junina Portuguesa de Desportos 1926
A primeira comemoração na Portuguesa de Desportos, em 1926: roupas típicas (Foto: Reprodução/Lucas Lima)

A primeira comemoração de São João na Portuguesa de Desportos ocorreu em 1926, seis anos após a fundação do clube, na então sede da Rua Cesário Ramalho, no Cambuci. Contava com fogueira, bandeirolas e comidas tradicionais de quermesse, como pinhão, mas também guloseimas da terrinha, como bolinho de bacalhau, vestimentas e instrumentos musicais típicos, a exemplo do bandolim dos fados.

“Essas comemorações eram famosas pela mistura dos estilos nordestino e português”, diz Vital Vieira Curto, responsável pelo memorial da Lusa.

Outras agremiações formadas por descendentes ou imigrantes de países europeus engordam a lista dos registros mais antigos desse tipo de festa em São Paulo. No caso do Esperia, fundado em 1899 por italianos, o clima era mais “abrasileirado”: na segunda edição do evento, em 1933, na sede em Santana, já sobressaíam as roupas caipiras, a sanfona e o quentão.

Festa Junina Clube Espéria 1933
Clube Esperia, em 1933: a segunda quermesse dos associados italianos (Foto: Revista Esperia/Junho de 1933)

Fonte: VEJA SÃO PAULO