Comidinhas

Nove food trucks que você precisa conhecer

Selecionamos boas opções entre os mais de 600 food trucks que rodam pela cidade

Por: Rogério Dias - Atualizado em

Food truck - Holy Pasta
Os sócios do Holy Pasta Food Truck: kombi com pegada underground (Foto: Lucas Lima)

Aonda dos food trucks chegou ao Brasil e tomou conta de várias capitais, a começar por São Paulo. Com a publicação da Lei 15.947/2013 em maio de 2014, que regulamentou a venda de alimentos em barracas, carrocinhas e veículos automotores, o formato ganhou força e, atualmente, mais de 600 food trucks rodam a capital. 

Os restaurantes sobre rodas vendem de tudo -- de coxinhas, hambúrgueres e guloseimas a pratos elaborados, que podem muito bem fazer parte do cardápio de um bom restaurante. Para facilitar na hora de escolher, selecionamos nove food trucks bacanas, daqueles que todo mundo precisa conhecer. Confira: 

 

+ Sorvete na balança

Divina Increnca
Margherita da Divina Increnca: individual, para comer com as mãos (Foto: Mario Rodrigues)

Divina Increnca: fica estacionado em uma tranquila rua da Pompeia, diante de uma casa cujo quintal serve para acomodar os clientes. Neste espaço, existe uma horta de onde vem parte do manjericão usado nas pizzas. E que pizzas! A margherita feita com um molho de tomate cheio de frescor, mussarela de búfala e parmesão sai por R$ 20,00. Enrolada, a sottileto surpreende pelo recheio: mussarela, mortadela e raspas de limão-siciliano (R$ 25,00).

La Peruana Food Truck
La Peruana Food Truck: para comer ceviche (Foto: Divulgação)

La Peruana: a marca fez tanto sucesso que ganhou um restaurante fixo, o La Peruana Chevichería, no Jardim Paulista. Mas o seu carrinho sobre rodas segue com tudo pela cidade. De pratos principais a simples porções características, a chef Marisabel Woodman, nascida na cidade peruana de Piura, faz pedidas como o ceviche clássico (R$ 25,00). Os preços podem variar de R$ 21,00 a R$ 50,00 nos pratos principais.

Food truck - Holy Pasta
Holy Pasta: nhoque ao sugo (Foto: Lucas Lima)

Holy Pasta: tem pegada underground a Kombi preta especializada em massas frescas. Para sair na frente da concorrência, aposta em um fornecedor de renome. Levam o selo do Pastifício Primo o ravióli recheado de carne de cordeiro (R$ 28,00) e o nhoque de batata (R$ 19,00). Apenas ali, provam-se ainda sanduíches como o vegetariano (R$ 16,00), de mussarela de búfala derretida, tomate, rúcula, molho de romã, e cervejas artesanais (R$ 21,00).

Bio Barista Coffee Truck
Bio Barista Coffee Truck: café bem tirado (Foto: Divulgação)

Bio Barista: depois de passar por casas como Santo Grão e Il Barista Cafés Especiais, Alex Pereira decidiu reformar uma Kombi para vender cafés. Uma mesinha de madeira, uma máquina de expresso da marca Lamarzocco e um moinho são tudo de que o barista eleito o melhor da categoria pela votação popular precisa para preparar as bebidas com esmero. No cardápio aparecem quatro opções a R$ 5,00 cada uma: o bem tirado expresso, o ristretto, o romano (com raspas de limão) e o macchiato. Servidas em um copo de 240 mililitros, as versões latte, capuccino (com ou sem chocolate), mocha e chocolate quente saem a R$ 8,00 cada uma. 

Buzina Food Truck
Buzina: hambúrguer com linguiça ibérica defumada e batatas fritas dentro (Foto: Mario Rodrigues)

Buzina: comandada pelos cozinheiros Márcio Silva e Jorge Gonzalez, esta mistura de lanchonete e restaurante sobre rodas perdeu um pouco o brilho de suas receitas. O que continua a ser um ponto positivo deste food truck é que ele para mais frequentemente nas ruas da cidade, em bairros como Vila Madalena e Jardim Paulista, em vez de estacionar em feiras e eventos gastronômicos fechados. Com diversos tipos de refeições, que vão de hambúrgueres até rabada desossada, os preços podem variar de R$ 18,00 até R$ 25,00.

Panela na Rua Food Trucks - Bamboleiras
Bamboleiras: truck especializado em docinhos (Foto: Divulgação)

Bamboleiras: “Cafés, bolos e mimos”, diz a frase estampada na traseira deste colorido food truck que costuma estacionar em ruas de Pinheiros e do Itaim Bibi. Mais convidativo, impossível. As comidinhas, que variam entre pães de ló, mini bolos de brigadeiro e várias outras delícias, podem custar de R$ 4,00 a R$ 12,00.

+ Dez porções de batata frita que você precisa experimentar

 

falafeando
Falafeando: mãe e filha comandam o trailer (Foto: Reprodução/Facebook)

Falafeando: mãe e filha comandam o trailer que tem por especialidade o faláfel. Esse bolinho de grão-de-bico típico da cozinha árabe chega dourado, bem temperado com cominho, na companhia de molho tahine (R$ 15,00; cinco unidades). Da cozinha ambulante saem também porções de quibe (quatro unidades), de homus e de coalhada seca, essas duas últimas acompanhadas de pão sírio. Qualquer uma delas custa R$ 15,00, assim como a batata rústica, frita com a casca.

O Teste das Feirinhas Gastronômicas
La Vera Porchetta: sanduíche de porchetta com molho de salsa na ciabatta  (Foto: Divulgação)

La Vera Porchetta: embora não tenha um endereço fixo, é rara a quinta-feira em que não está ao lado do Vianna Bar, em Pinheiros. Ali, a bancada é montada a partir das 18h e segue até 0h. A carne suculenta, temperada com limão-siciliano, salsa e especiarias, pode ir direto para uma embalagem e virar petisco (R$ 25,00 a porção) ou, então, rechear a ciabatta de fabricação própria. O lanche de inspiração italiana custa R$ 23,00.

Kombi do Chef: Xis coração
Xis coração da Kombi do Chef: o pão bem fininho envolve o generoso recheio (Foto: Jennifer Detlinger)

Kombi do Chef: este food truck costuma rodar por São Paulo a semana toda. No lugar de lanches comuns e já conhecidos dos paulistanos, como de carne-louca e pernil, o chef  colocou no cardápio de seu carrinho – nomeado de Kombi do Chef – seis versões do sanduíche queridinho dos pampas. A mais popular traz coração de frango entre duas fatias do tal pão de xis, uma versão bem maior de um pão de hambúrguer. A receita custa R$ 23,00 e leva ainda queijo mussarela, milho, ervilha, alface, tomate e maionese. Por mais R$ 2,00 e R$ 3,00, dá para acrescentar ovo frito e bacon, respectivamente.

+ Quinze lugares para comer gulodices no Itaim Bibi

Fonte: VEJA SÃO PAULO