Saúde

Médico enfaixa perna quebrada sobre a roupa de paciente

Mulher ficou dois dias sem tomar banho. Filho postou fotos em redes sociais

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

francisco_fernando_leme_-_arquivo_pessoal_4
Idosa com perna engessada sobre a roupa em Bariri (Foto: Reprodução/Francisco Fernando Leme/Arquivo Pessoal/G1)

Uma mulher de 70 anos que fraturou a perna em uma queda, em Bariri, interior de São Paulo, teve o membro enfaixado sobre a calça e o tênis que usava ao receber atendimento médico na Santa Casa local. Dispensada após o procedimento, ela ficou dois dias sem poder tomar banho, trocar de roupa e foi obrigada a dormir de tênis.

+ Ministro leva bronca da filha: "Nós trabalhamos tanto quanto o senhor"

O caso foi parar nas redes sociais e repercutiu na cidade. O hospital reconheceu que houve erro e afastou o médico temporariamente. 

A dona de casa Maria Ivone Rodrigues Leme contou ter sofrido uma queda ao se levantar durante a noite e começou a sentir dores no joelho. Ela foi quatro vezes ao hospital até conseguir o atendimento. As radiografias mostraram uma fratura leve na perna, mas não havia ortopedista e Maria Ivone voltou para casa.

+ O que preciso saber para doar sangue?

Como sentia muita dor, os familiares conseguiram ambulância para que fosse levada de volta ao hospital. Foi quando o médico plantonista decidiu enfaixar a perna sobre a roupa. "Na terça-feira vi que precisava de atendimento e passaram de médico para médico, até que um deles falou que eu precisava engessar porque a perna estava quebrada mesmo. Eu fui de ambulância para a Santa Casa, então o médico enfaixou minha perna, mas ele enfaixou tudo. Eu estava de calça comprida por causa desse frio que está fazendo e ficou tudo ‘empelotado’. Foi calça comprida, foi meia e pegou até o tênis”, contou, em entrevista à TV Globo.

Ao visitar a mãe, Francisco Fernando Leme, filho da idosa, achou que aquilo era um descaso, fez fotos e postou em redes sociais. A repercussão foi imediata e muitas pessoas criticaram a atitude do médico. No mesmo dia, um enfermeiro da Santa Casa foi à residência e conduziu a mulher de volta ao hospital. Desta vez, o gesso foi aplicado corretamente.

Fonte: VEJA SÃO PAULO