Restaurantes

Marquês de Marialva compra La Cocagne e oferece menu franco-lusitano

Com os chefs Manuel Gonçalves representando Portugal e José Pereira dos Santos, a França, o novo restaurante apresenta cardápio variado

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Marquês de Marialva La Cocagne_2169
Pato assado ao molho de laranja com purês de mandioquinha e batata: R$ 62,00 (Foto: Fernando Moraes)

Aos 44 anos, um dos mais tradicionais endereços franceses da cidade trocou de mãos. O La Cocagne foi comprado pelos donos do português Marquês de Marialva, que funciona em Alphaville e tem entre seus sócios o cantor Roberto Leal. Depois de uma rápida reforma, a casa do Itaim reabriu no início do mês rebatizada de Marquês de Marialva/La Cocagne. Ganhou ambiente mais bonito, com paredes em tom verde-escuro. O cardápio estampa agora receitas de Portugal e da França.

Do lado luso, o responsável pelo menu é o chef Manuel Gonçalves, que já trabalhou no restaurante Flor de Sal, na região portuguesa de Trás-os-Montes. Adepto de algumas ousadias, o cozinheiro tropeçou na trivial porção de bolinhos de bacalhau (R$ 19,00, seis unidades), muito engordurada. Saiu-se melhor no bacalhau trasmontano (R$ 79,00), peça coberta de maionese ao alho e disposta sobre pequenas batatas assadas. Mais impactante ao paladar, o denso pudim de azeite (R$ 18,00), para a sobremesa, leva pouco açúcar e chega escoltado por sorvete de baunilha sobre tapenade de azeitona preta caramelada.

Na porção francesa da cozinha, o alagoano José Pereira dos Santos, há mais de quarenta anos no La Cocagne, brilha no escargot (R$ 42,00), entrada rica em alho e salsinha, e no pato assado ao molho de laranja guarnecido de purês de mandioquinha e batata (R$ 62,00). A carta de vinhos oferece opções como o francês Cotes du Rhône Belleruche (R$ 95,00) e o português Lavradores de Feitoria 2006 (R$ 76,00), ambos tintos e da safra 2006.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO