Teatro

MariMoon canta e toca bateria no musical “Fame”

VJ de 29 anos viverá a personagem roqueira Grace Lambchops; espetáculo estreia em 12 de maio

Por: Adriano Conter - Atualizado em

MariMoon
MariMoon: "Graças a Deus, tenho ritmo" (Foto: Adriano Conter)

Ainda em setembro do ano passado, quando começaram as audições para o musical “Fame”, MariMoon não sabia cantar, dançar ou tocar bateria. Foi por estas razões que a VJ de 29 anos estranhou o convite para tentar o papel da personagem Grace Lambchops. No início, declinou a proposta, mas a insistência da produção a convenceu.

+ Leonardo Moreira estreia no teatro juvenil com "Menor que o Mundo"

Extrovertida como é, se deu bem no casting. Com poucos meses para a estreia, que ocorre em 12 de maio, e muito para aprender, Mariana de Souza Alves Lima (seu nome de batismo) saiu na frente ao menos quando o assunto era atuação. Nunca foi atriz, mas, desde que virou uma das primeiras webcelebridades brasileiras, tem interpretado uma personagem muito semelhante à do musical. Na maneira de vestir, MariMoon e Lambchops são como unha e carne. “Muito do figurino eu tenho no meu guarda-roupa”, conta, ao lembrar que vai usar um de seus coturnos, já amaciados, na encenação.

+ As melhores peças em cartaz

As semelhanças não param no estilo descolado. Outra característica que contou pontos com a direção foi o sucesso que a VJ de cabelos coloridos faz com os adolescentes, público alvo da montagem. Com mais de 1,4 milhão de seguidores no Twitter, ela já recebe inúmeros recados de fãs, com promessas de ir assisti-la no teatro. “Mari, você vai brilhar como sempre! Estamos torcendo por você, gata. Nós te amamos!”, diz um dos exaltados comentários publicados em seu blog, em um dos primeiros posts que ela escreveu sobre “Fame”.

MariMoon
Pela primeira vez nos palcos: webcelebridade estreia "Fame" em 12 de maio (Foto: Adriano Conter)

Com uma veia cômica, a personagem Grace Lambchops é baterista em uma escola de artes de Nova York, onde é ambientada a trama. Inspirado em filme homônimo de 1980, o espetáculo acompanha os quatro anos de curso, vividos com intensidade por uma turma de estudantes em busca da fama, seja dançando, atuando ou tocando. Ricos, pobres, negros, brancos e latinos dividem o ambiente competitivo. “É o mesmo clima que inspirou ‘Grease’”, compara MariMoon.

+ Twitter: conheça os paulistanos mais influentes no microblog

Para viver a roqueira, a VJ toma aulas de bateria e diz estar pronta para a estreia. “O básico já sei, agora estou tentando fazer algo a mais. Graças a Deus, tenho ritmo.”

Esse tipo de desafio não é novidade para a atriz, que não é de recusar novas empreitadas. Antes de ser chamada para a televisão, MariMoon foi vitrinista e trabalhou com uma loja online de roupas. “Sempre vejo pessoas desistindo de algo porque começaram tarde demais. Faço o contrário. Sou cheia de paixões.”

+ Você sabe quanto tempo os famosos gastam na internet?

Com os ensaios constantes, sua rotina ficou apertada. Por conta do musical, a VJ resolveu não aceitar nenhum novo projeto na MTV, onde apresenta o programa “Acesso”. Os ensaios para “Fame” têm ocorrido das 14h às 22h, de segunda a sexta, no espaço 10x21, na região de Perdizes. No local, o clima é de descontração. Enquanto alguns jogam baralho no hall, outros praticam sapateado.

O espetáculo, que ocupará o palco do Teatro do Shopping Frei Caneca, está na reta final de preparação. A direção é do americano Billy Johnstone. Quatro nomes da equipe original do musical, que estreou em 1988 na Broadway, constam nos créditos da produção brasileira: David De Silva (concepção e criação), Jose Fernandez (libreto), Jacques Levy (letra) e Steve Margoshes (música).

Entre os brasileiros, estão o diretor musical Paulo Nogueira, o coreógrafo Guto Muniz, o preparador vocal Rafael Villar e o assistente de direção e preparador corporal Gustavo Torres. MariMoon afirma que, apesar de importada, a peça ganhou traços nacionais. “Tivemos liberdade com o texto.”

No elenco, ainda estão os globais Paloma Bernardi, Klebber Toledo e Murilo Armacollo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO