TV

Tumulto faz Marcelinho Carioca sair correndo da Cracolândia

O ex-jogador recebeu pedido de autógrafo até mesmo em cachimbo usado para consumir a droga; confusão aconteceu entre guardas civis e dependentes químicos

Por: Adriana Farias - Atualizado em

Marcelinho Carioca
O ex-jogador recebeu pedidos de autógrafo até mesmo em cachimbo para consumir o crack (Foto: Adriana Farias)

Eterno ídolo corintiano, Marcelinho Carioca foi ovacionado na Cracolândia na tarde desta quinta (20). O ex-jogador esteve na região para gravar um quadro para o seu programa, Virando o Jogo, transmitido pela rede RBI aos domingos. Apesar da boa recepção, ele precisou sair correndo do local por causa de um tumulto envolvendo dependentes químicos e guardas civis metropolitanos. A confusão não teve relação com a presença do “Pé-de-anjo”.

+ TSE recebe pedido para criação de partido corintiano

Assim que chegou, Marcelinho conversou com assistentes sociais e, sozinho, foi até o local conhecido como “fluxo” – aglomeração de usuários na Alameda Dino Bueno. Rapidamente, ele foi reconhecido e cercado pelos fãs.

Marcelinho Carioca
Eterno ídolo corintiano foi ao local gravar entrevistas (Foto: Adriana Farias)

Entre beijos e abraços, o ex-jogador recebeu pedidos de autógrafos até mesmo em cachimbo usado para consumir a droga. Os fãs também falaram sobre futebol. Um dos usuários perguntou para Marcelinho se ele ainda era corintiano e recebeu como resposta um grande sorriso.

+ “É preciso ter polêmicas no futebol”, diz Milton Neves

"Eu gosto de conhecer o dia a dia de luta das pessoas. Fico preocupado também com a busca pela reconciliação com as famílias", disse minutos antes do tumulto.

Marcelinho Carioca
Marcelinho Carioca foi cercado na Cracolândia pelos fãs (Foto: Adriana Farias)

Assim que deixou o “fluxo”, Marcelinho foi gravar depoimentos em um espaço próximo ao local. Em uma fiscalização de rotina, guardas civis começaram a formar barricadas, proibindo usuários de circular com caixotes. Esses objetos normalmente são usados para montar bancas para a venda da droga. Quando começou o tumulto, um dependente químico foi atingido com um cassetete.

+ Confira as principais notícias da cidade

Veículos da GCM chegaram à área em alta velocidade. Nesse momento, Marcelinho precisou deixar a Cracolândia correndo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO