Luxo

Marca francesa doa um tênis a cada venda

Com essa ideia, dois herdeiros da Hermès e um amigo expandem a marca Twins for Peace, nascida numa partida de futebol

Por: Silvano Mendes

NT2A0130_OK
Os gêmeos Alexandre e Maxime Mussard no jardim dos Invalides com Yoann Corbin (no centro), diretor da marca, em Paris: agora no Brasil (Foto: Divulgação)

Num planeta disputado pela Nike e Adidas, já é difícil para New Balance, Reebok e Puma garantirem uma boa fatia de pés. A Twins for Peace, no entanto, vem ganhando torcedores a passos pequenos — e sem vender tênis de alta tecnologia. Fundada em 2009, a marca parisiense de tênis dos gêmeos Maxime e Alexandre Mussard, de 29 anos, representantes da sétima geração da família Hermès, em sociedade com o amigo de infância Louis Felix de Fenoyl, desconhece o nylon e sequer domina o que são solados que absorvem impacto e se adaptam ao tipo da pisada. Os pares têm um quê das antigas Congas: os solados são de borracha e o corpo de sarja de algodão, ráfia, plástico ou couro. Todos feitos em uma fábrica em Portugal. O que garantiu, em 2013, 600 000 euros de faturamento para a empresa, quantia ínfima se comparada aos 18,5 bilhões de euros da Nike no mesmo ano ou aos 14,5 bilhões da Adidas, os gigantes citados acima. Mas não são exatamente as cifras que movem esses jovens.

+ Leia mais sobre o mercado de luxo

Twins For Peace
A loja parisiense no Marais: principal vitrine para os tênis da marca (entre 70 e 375 euros), como os modelos criados em colaboração com o estilista Julien David (Foto: Divulgação)

A marca criou a filosofia do “tênis solidário”. A cada par vendido no número 81 da rua Vieille du Temple, loja aberta no ano passado no bairro do Marais, ou nas multimarcas de prestígio como Dover Street Market, em Londres, e Colettee lí Eclaireur, em Paris, os sócios doam um par a uma criança carente. Apesar do excelente marketing positivo atrelado à ideia, não se trata de uma operação automática, como tantas outras benevolentes que ocorrem mundo afora. Os pares doados não são os mesmos vendidos por, em média, 130 euros. Na coleção Gacha, cujos bordados de miçangas coloridas demandam cinquenta horas de trabalho manual, chegam a 375 euros (“Para pagá-losde maneira justa”, diz Maxime). Ele trabalhou na empresa da família no setor de vendas entre 2007 e 2008, na Cidade do México, e hoje divide a direção artística da Twins com o irmão. “Um ano antes da doação, nos instalamos no país eleito, mapeamos as crianças junto com as associações locais e passamos a produzir os calçados ali para incentivar a economia da região”, conta Alexandre.

O primeiro projeto foi feito aqui, em parceria com a Gol de Letra, fundação do jogador de futebol Raí. Em vez de tênis, distribuíram chuteiras. O trio de sócios entregou pessoalmente 200 pares de calçados na Favela São Remo, em São Paulo. A Gol de Letra é uma das entidades filantrópicas patrocinadas pela Fundação Hermès. O irmão mais velho deles, Dimitri, se estabeleceu em São Paulo em 2010 e está à frente de dois negócios no país: a Acaju do Brasil, de importação de marcas de moda, e a sorveteria Dri Dri. Na Colômbia, fizeram galochas para as crianças que enfrentavam os efeitos de uma inundação. Desde então, a ação já passou por Moçambique e Índia, num total de 10 000 pares doados.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Foi durante uma partida de futebol numa viagem à Madagáscar que surgiu a ideia da Twins for Peace. Maxime emprestou seu par de tênis a um garoto que jogava descalço e se machucou. No dia seguinte, o menino retribuiu o gesto oferecendo um livro ao francês. “Se aquele garoto foi capaz de dar o pouco que tinha, os mais privilegiados poderiam fazer o mesmo, comprando e realizando uma boa ação simultaneamente”, diz Maxime. A boa ação é só parte da fórmula bem-sucedida da Twinsfor Peace. Para tornar seus modelos atraentes, contratam jovens designers, caso do estilista Julien David, o queridinho do momento da imprensa francesa, que bolou oito modelos bem espalhafatosos para a marca. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO