Paulistano Nota Dez

Maquiador ensina mulheres com câncer a usar cosméticos

Anderson Bueno promove cursos em hospitais para pacientes que passam por sessões de quimioterapia

Por: Ricky Hiraoka - Atualizado em

Anderson Bueno maquiador Paulistano Nota Dez
"É muito gratificante ver as mulhere recuperarem a autoestima que o câncer tira" (Foto: Lucas Lima)

Em 2002, o maquiador Anderson Bueno recebeu um convite que o surpreendeu: ministrar um curso desua atividade a pacientes em tratamento contra o câncer no Hospital Pérola Byington, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, como parte da programação do Dia Internacional da Mulher, 8 de março. O objetivo era ajudá-las a superar as difíceis sessões de quimioterapia por meio do resgate da autoestima. Ele tinha pouco contato com a doença, mas a iniciativa foi um sucesso, então passou a repeti-la todo mês. Após alguns encontros, no entanto, quase desistiu. “Eu me sentia mal ao ver o sofrimento delas e estive perto de interromper o trabalho”, recorda.

Foi demovido ao ouvir uma frase da atriz Drica Moraes, com quem trabalhavano musical Vítor ou Vitória: “O maquiador é um enviado de Deus, veio ao mundo para aperfeiçoar as criações do Senhor”. Acabou permanecendo cinco anos, auxiliado por uma parceria com a marca Payot, que fornecia os cosméticos. “É gratificante vê-las recuperar a autoestima que o câncer tira junto com os cabelos”, conta. Um dos casos que mais lhe chamaram a atenção foi o de uma jovem de 18 anos que enfrentava a sexta cirurgia para retirar um tumor no seio. “A alegria dela nas aulas me motivou a querer transmitir o mesmo para outras mulheres.”

Em 2007, Bueno deixou o Pérola Byington, mas levou o formato aos hospitais Vila Nova Cachoeirinha e Sírio- Libanês, nos quais os cursos eram realizadoscom o apoio da Avon. Quando perdeu a ajuda com os produtos, em 2011, passou a atender no Nove de Julho, então por conta própria. “Tento ir a cada dois meses”, afirma. Por duas horas, o maquiador explica a grupos de até dez pacientes como usar base, corretivo, batom e máscara para cílios. “Levo perucas para elas brincarem e se verem loiras, morenas, ruivas...”, relata. Em pouco mais de dez anos, ele calcula que atendeu cerca de 5 000 mulheres. Atualmente, sonha em expandir o projeto para grupos masculinos. “A maquiagem também pode ajudar homens a se sentirem mais belos nesse momento difícil.”

Nome: Anderson Bueno

Profissão: maquiador

Atitude transformadora: ensina pacientes que passam por sessões de quimioterapia a utilizar cosméticos

Fonte: VEJA SÃO PAULO