Carreira

Como usar o LinkedIn e conseguir boas vagas

Sete dicas para obter o melhor da melhor rede social

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

LinkedIn
O presidente americano Barack Obama participa de encontro sobre o LinkedIn no Museu da História da Computação, na Califórnia, em 2011 (Foto: Reprodução)

Presente em 200 países, disponível em 24 idiomas e com mais de 364 milhões de usuários (dos quais 22 milhões são brasileiros), o LinkedIn se consolidou como a rede social mais procurada no mercado de trabalho.

+ O que acontece de mais importante na cidade

De acordo com a revista Forbes, a plataforma é “de longe, muito longe, o mais vantajoso instrumento disponível para quem procura emprego e para profissionais de negócios”. Além disso, ela pode funcionar como um lugar para reencontrar antigos colegas, identificar novos clientes e ser apresentado a pessoas competentes.

+ Os melhores smartphones para quem pretende economizar

Mesmo assim, muita gente ignora as melhores maneiras de extrair toda a capacidade da ferramenta e como ela pode potencializar as chances de encontrar uma boa oportunidade. Mais do que isso, há quem queime seu filme com perfis descuidados. Confira sete dicas para obter o melhor da rede social:

+ Saiba como se livrar de barras pesquisa, banners e links indesejados no seu navegador

1 - Mantenha o seu perfil atualizado

Uma vez no LinkedIn, em hipótese alguma deixe o seu perfil desatualizado. Registre aquela promoção ou mudança de área. E vá além: publique vídeos e textos curiosos sobre suas áreas de interesse, mas sem exagero. A qualidade de suas postagens deve ser prioritária em relação à quantidade. Capriche na revisão da língua portuguesa.

2- Tome cuidado ao escolher a foto

Sabe aquela foto divertida no seu perfil do Facebook, na qual você está pagando um mico de viagem, se divertindo no último Carnaval ou correndo sem camisa? Vá com algo mais sóbrio no LinkedIn - a depender de sua área, pode ser mais ou menos informal, mas sem dar margem à queimação de filme. Também não opte pelo o extremo da sisudez. Sorria, seja qual for o seu segmento profissional.

+ Veja quais são os melhores modelos de smartbands, as pulseiras inteligentes

3 - Não mande a mensagem padrão ao solicitar uma conexão

“Eu gostaria de adicioná-lo à minha rede profissional no LinkedIn.” Muita gente ainda faz uso dessa mensagem genérica e automática ao solicitar que alguém faça parte de sua rede no LinkedIn, mas ela não é eficiente: você tem mais chance de ser ignorado, classificado como spam ou vítimas do botão “eu não conheço essa pessoa”. Torne a conversa pessoal e seja específico desde o começo. Você não vai querer se mostrar uma pessoa preguiçosa logo de cara.

4 - O LinkedIn é sobre o que você pode acrescentar às outras pessoas, não o contrário

Assim como na vida real, a autopromoção não impressiona ninguém – ou, pelo menos, não as pessoas certas. Não perca tempo se elogiando ou dizendo o quanto você é bom sem mostrar algo que prove isso. O LinkedIn oferece diversos meios de mostrar as suas competências e divulgá-las de maneira eficiente entre os seus contatos. A publicação de artigos, disponibilizada recentemente para os brasileiros, é uma delas.

Uma diversidade enorme de artigos tem sido postada: são textos voltados para a área de gestão e ensaios sobre economia até análises sobre a Marvel e a indústria dos super-heróis e o empreendedorismo no MasterChef.

+ Spotify? Deezer? Saiba qual o melhor aplicativo de streaming de música

Não tenha receio de usar a ferramenta postando conteúdo que acrescente algo de valor à sua rede de contatos. Qual conselho você daria para alguém que deseja entrar na sua área? Quais são os desafios da sua profissão? Como você acha que o seu setor estará daqui a quinze anos? São algumas opções de temas que podem despertar a curiosidade de quem recebe as suas atualizações.

Linkedin
Sempre com novas ferramentas, o LinkedIn exige proatividade e engajamento dos usuários (Foto: Reprodução)

5 - Cultive suas conexões e seja proativo

Um perfil de destaque no LinkedIn é um perfil proativo - como em qualquer rede social. Assim como você sabe que recomendações valem ouro nesse território, recomende as competências das suas conexões, sejam elas colegas, pessoas de quem você foi cliente e satisfizeram as suas necessidades e chefes.

Procure também participar de grupos relevantes dentro do seu setor e compartilhe conteúdo com os integrantes. É um caminho para novos contatos.

6- Não peça recomendações a quem você não conhece

É possível solicitar às suas conexões que recomendem suas habilidades profissionais, o que é parte fundamental do seu perfil, já que ali estão pessoas que ratificam as suas competências. É importante que essas pessoas sejam confiáveis e profissionais respeitados, pois, acredite, contratantes têm maneiras de identificar quando ali estão apenas trocas de favor ou informações falsas.

7- Não trate o LinkedIn como o Facebook ou Twitter

Por mais que encontre todos os seus amigos e os colegais com os quais fez aquelas piadas hilárias sobre o chefe no almoço, as regras de etiqueta do LinkedIn são muito diferentes das outras redes sociais. Uma vez ali, tenha em mente que você está em um ambiente estritamente profissional. Ou seja, ninguém está interessando no que o seu gato fez na noite passada ou no que você comeu no jantar.

Fonte: VEJA SÃO PAULO