Música

Um dia com Manu Gavassi

Acompanhe uma tarde com a cantora teen revelação, em seu primeiro grande programa de televisão

Por: Gabriela Simionato - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Aos 17 anos, Manu Gavassi já estampa capa de revistas, atua em uma webserie e gravou um CD, produzido por Rick Bonadio, em parceria com a gravadora Universal e a revista CAPRICHO. VEJA SÃO PAULO acompanhou uma tarde da cantora, que enfrentou seu primeiro grande programa de TV e sua primeira série de entrevistas para divulgar o disco de estreia, ‘Manu Gavassi’.

+ Veja galeria de fotos de uma tarde com Manu Gavassi

Mesmo diante de todo o frenesi que passou a cercá-la, Manu, que ainda nem terminou o colegial, encara com calma a mudança de vida. No lugar de fazer os programas de uma garota da sua idade, ela agora vive rodeada por assessores. 

Manu Gavassi 16
A preocupação com os cabelos: "Faço progressiva e escova, não tenho vergonha de dizer" (Foto: Cida Souza)

A cantora parece ser bem decidida quanto ao que quer. Após terminar as entrevistas feitas por telefone, ela começa a se preparar para gravar o programa 'Eliana', do SBT. O maquiador Israel Escobar chega para produzir o visual da gravação. Com a maquiagem feita, a briga é com a franja. Penteia, passa laquê e, de minuto em minuto, joga a franja para o lado. A mãe, Daniela Gavassi, chega bem a tempo de escutar "Mãe! Eu vou chorar", assim que Manu descobre que a tomada para fazer a chapinha fica longe do espelho. Problema resolvido, a mãe segura um espelho de bolso para a filha poder se arrumar.

O dia de Manu termina com o fim da gravação do programa de TV, às 19h30. Ela tem que dormir cedo para manter a voz, pois, no dia seguinte, estão agendados uma nova série de entrevistas e a gravação de uma vinheta para uma rádio. Manu, definitivamente, passou a levar uma vida de estrela.

A DESCOBERTA

Bonadio conta que a primeira vez que ouviu falar na garota foi quando o pai dela, o radialista Zé Luis Francisco, enviou uma demo para o estúdio. Ele diz que, como na época ela tinha apenas 15 anos, não considerava que ela estivesse pronta. “Eram músicas de uma garota que estava começando, mesmo, as letras tinham ideias boas, mas era bem o começo. Há 8 meses, o pai del ame procurou novamente e falou que Manu estava na Galera CAPRICHO e que tinha evoluído o seu trabalho. Ele me mandou via Youtube vídeos das músicas ‘Você Tá Namorando’ e ‘Eu e Você’, e eu adorei!”

Aos olhos do produtor, Manu se destaca por ter o “pacote completo”. “Sem dúvida. o grande diferencial dela é a forma como compõe e a honestidade do que coloca no papel. Ela tem essa coisa de escrever bem para a galera adolescente e pré-adolescente. É muito fácil achar uma menina que canta bem, outra que escreve bem, outra que dança bem ou tem carisma. Mas é difícil achar alguém que tenha isso tudo junto, e ela tem”, completa.

Confira abaixo um bate-papo com a revelação teen. 

Manu Gavassi 17
Com disco lançado, a cantora não para de escrever: "Tenho mais quatro músicas que acabei de compor. Quero lançar muitos CDs" (Foto: Cida Souza)

Como você concilia sua vida de adolescente com a carreira?

Eu mudei de escola agora, porque estava faltando muito e não queria correr o risco de repetir de ano. Sentei com meus pais, conversamos e eles concordaram. Sinto falta das minhas amigas, mas foi uma escolha que tive que fazer pela minha carreira. Agora eu posso faltar e repor o que perdi na minha casa. Eu não saio à noite para baladas. Na época da gravação do CD, eu dormia cedo porque tinha que descansar a voz. Faz falta ser como as minhas amigas, ter a perspectiva dessa vida de faculdade, sabe? Eu fui para o VMB (premiação da MTV) e elas estavam estudando para a prova de física. Mas eu sei que esse é meu sonho. Quero cantar, quero fazer isso da minha vida. Vou prestar faculdade de moda, mas sei que não me dediquei o suficiente e posso não passar. Mas tudo bem, porque estou fazendo o que quero da minha vida.

Como foi que você entrou em contato com o Rick Bonadio?

Meu pai enviou meus vídeos para ele dar uma olhada e ele gostou. Então, a gente começou a conversar e, em dois meses, gravei meu CD. Foi tudo muito rápido.

Como foi o processo de escolha das músicas para colocar no CD?

Todas as músicas foram escritas por mim, e são todas baseadas em coisas que eu vivi. O Rick me ajudou muito e foi tudo muito rápido.

Das músicas que estão no CD, quais você gosta mais?

‘Quatro Notas’ e a ‘ Canta Comigo’, que foi escrita pelo Lucas, vocalista da banda Fresno. O Rick contou que ele ia escrever uma música para mim, e eu surtei. Quando eu vi o arquivo com o meu nome, Manoela, quase chorei! E a música ficou linda!

Quais as suas inspirações musicais?

Never Shout Never é a minha banda. De cantora, é a Taylor Swift.

Como você cuida do seu visual?

Eu escolho as minhas roupas. Amo moda. Não pode faltar no dia a dia uma calça jeans. E eu gosto muito de maquiagem também. Nunca tive que me preocupar com o peso, porque sempre fui magra, era até complexada de ter as pernas finas. No cabelo eu faço progressiva e escova. Não tenho vergonha de falar, meu cabelo é ondulado e eu não gosto.

Como tem sido lidar com a fama?

É surreal, eu não me sinto famosa. Não sei por que as pessoas querem tirar uma foto comigo, sabe? Acho isso demais, acho lindo o carinho que elas têm. Fico impressionada. Uma vez ganhei uma bonequinha com uma camiseta escrito ‘I Love Manu’ e chocolates! Acho incrível! Ainda não caiu a ficha, e acho isso bom. Significa que eu não tenho que me preocupar se a minha personalidade vai mudar com a fama. Tenho minhas amigas, tenho minha família, e eles me ajudam a me manter igual.

Como está a relação com suas amigas?

A minha melhor amiga é a minha irmã (Catarina, 15 anos). Ela é meu ponto de referência, vivemos grudadas. Todas as minhas músicas eu mando para ela. Se ela não gosta, eu jogo fora, porque sei que está ruim. Confio muito no gosto dela. Tenho um grupo de sete amigas que são como irmãs para mim, e não rola aquilo de ter aquela amiga que é empolgada demais, que você percebe que é interesse. Elas olham e falam: ‘Como você pode estar na capa da revista? Você está aqui! Na minha frente! Sem maquiagem e com olheira!’ Eu acho isso muito importante, porque elas nunca vão me deixar mudar. Elas me apóiam muito.

Qual o papel da sua família na sua carreira?

Eles me apóiam muito, e isso é importante na minha idade, porque eu sou novinha e, se eles não quisessem de jeito nenhum que eu fosse cantora, isso teria me atrapalhado e eu não teria conseguido. Meu pai sempre falou que eu tinha que ser o que eu quisesse ser, mesmo que levasse um ‘não’, e eu acredito nisso. Se você quer uma coisa, continue fazendo que um dia você vai ter o seu lugar. Somos muito unidos, conto tudo para minha mãe, e eles me ajudam a me manter eu mesma.

Qual seria o auge como cantora?

O auge do auge do auge seria fazer um show no Morumbi. Depois disso, eu podia morrer, feliz!

E uma parceria musical?

Com o Christofer Drew (vocalista da Never Shout Never). Posso falar nele de novo? Sou apaixonada!

Como você se prepara para cantar?

Eu faço aula de canto e de violão. Agora comprei um teclado e quero aprender. Por enquanto, só assisto vídeos na internet e fico copiando os dedinhos. Mas no ano que vem que vou estar livre da escola e vou fazer as aulas.

Como é o seu processo de composição?

Eu pego o violão e a música sai. Não consigo ter só a letra ou só a melodia, vem tudo junto. Meu celular tem vários trechinhos de música que eu gravo quando não estou com o violão por perto, para eu não esquecer da melodia. Outro dia fiz um trabalho até as duas da manhã e tinha que dormir. Quando eu deitei, veio uma música na cabeça. Eu levantei e tive que gravar para não esquecer.

De onde sai a inspiração para as suas letras?

De coisas que eu vivo. As de festa eu faço por farra, mas as de amor tiveram todas um motivo. Nunca namorei porque sou muito chata, sempre tem algum problema que me impede de namorar. Eu acho que eu sou exigente demais, não tenho um padrão de menino. Minha mãe fala que é porque eu nunca amei de verdade... e coisa de mãe a gente acredita né? Mas, pensando racionalmente, eu nem quero um namorado, minha cabeça está em outro lugar. Mas essas coisas a gente não escolhe.

O que se passa na sua cabeça quando acaba o dia?

Parece que as coisas acontecem e só depois eu vou pensar. Tipo, meu clipe passou na MTV! Eu só deito e agradeço. Não consigo mais pedir nada para Deus porque eu estou vivendo um sonho!

Aonde você pretende chegar?

Eu quero fazer isso da minha vida, quero gravar vários CDs e conseguir viver disso, sabe? Sinto que ainda tenho muito a aprender. Quero conseguir viver disso, porque eu descobri que é o que eu amo fazer. Quero ter sustento e uma carreira longa.

Na sua opinião, o que você tem que cativa o público?

Eles se identificam comigo. Eu tenho 17 anos, sou normal, tenho as minhas amigas, meus problemas, os meninos que eu gosto e que não gostam de mim, essas coisas normais que toda menina passa.

TUDO SOBRE MANU GAVASSI

Nome: Manoela Latini Gavassi Francisco

Data de nascimento: 4 de janeiro de 1993

Idade: 17 anos

Altura: 1,52m

Peso: 36 Kg

Signo: Capricórnio

Filme: ‘500 Dias Com Ela’

Banda: Never Shout Never

Cantor: Christofer Drew

Cantora: Taylor Swift

Ator: Taylor Lautner

Atriz: Selena Gomez

Prato preferido: Arroz, feijão, bife e batata frita

Para não engordar... Nunca liguei para isso, sempre fui “pau de virar tripa” e era complexada

Frase: 'Você é tão grande quanto seu coração lhe deixar ser, e você é tão pequeno quanto o mundo lhe fizer parecer. (Trecho da música On The Brightside, do Never Shout Never)

Livro: ‘Princesa Pop’, da autora Rachel Cohn

É religiosa? Acredito muito em Deus, mas não tenho uma religião. Rezo todas as noites e agradeço.

Uma qualidade: Determinação

Um defeito: Perfeccionismo

Mania: Arrumar a franja

Faria plástica? “É válido se for para você se sentir melhor, mas tem que ter limite. Agora eu não penso, mas se fosse para me sentir melhor, eu faria... Não tenho nada contra”

Time: Porque meu pai manda, torço para o Corinthians

Programa de TV: ‘90210’ e ‘Pretty Little Liars’

Música: "Here Comes the Sun", dos Beatles

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO