Cidade

Manifestantes presos em protesto são liberados pela Polícia

Treze pessoas haviam sido encaminhadas a delegacias por desacato ou porte de pedras durante passeata de sexta (16)

Por: Veja São Paulo

Protesto Movimento Passe Livre MPL
PMs começaram a dispersar os manifestantes com armas químicas (Foto: Marcus Oliveira/Veja São Paulo)

Todos os manifestantes detidos durante o segundo ato contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo já foram liberados, segundo informa a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ao todo, treze pessoas foram encaminhadas a delegacias por desacato ou porte de objetos como pedras e garrafas.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Do total, oito manifestantes foram levados para o 78º Distrito Policial (Jardins) e outros cinco para o 2º Distrito Policial (Bom Retiro), na região central da capital paulista. O protesto contou com a participação de cerca de 3 000 pessoas e registrou menos detenções em comparação ao ato da semana anterior, quando 53 foram presos e cerca de 5 000 participaram.

A exemplo do último protesto, a manifestação também registrou tumultos e confrontos entre adeptos da tática Black Bloc e policias militares. Após um primeiro conflito na Rua da Consolação, que resultou em um detido, uma confusão maior ocorreu na frente da Prefeitura.

Protesto Movimento Passe Livre MPL
Manifestantes tiveram de correr para não serem atingidos pelo gás (Foto: Marcus Oliveira/Veja São Paulo)

Uma garrafa de vidro e duas pedras foram atiradas contra PMs, que revidaram com balas de borracha e bombas de gás e de efeito moral. Agências bancárias, bancas de jornal e orelhões também foram depredados.

O clima de tensão já era notado antes mesmo da concentração na Avenida Paulista. Para evitar o "catracaço" - a entrada sem pagar -, grupos de policiais se postaram desde as 15h nas principais estações de metrô das regiões leste e central. A chuva atrapalhou a formação, que só começou a marchar às 18h30.

+ Protesto do MPL termina em confusão e com manifestantes detidos

A polícia revistava pessoas com máscaras e apreendia objetos, "para evitar vandalismo". Nas redes sociais, a Polícia Militar voltou a divulgar imagens dos estragos causados por parte dos manifestantes, mas, dessa vez, sem compará-los a nenhuma facção criminosa. "Vândalos quebram vidro da viatura", dizia uma das postagens replicadas no Twitter e Facebook da corporação.

Protesto Movimento Passe Livre MPL
Agência do Banco do Brasil foi depredada no meio da confusão (Foto: Marcus Oliveira/Veja São Paulo)

Já o Movimento Passe Livre (MPL) denunciou a atuação dos policiais em seu site. "Em mais de um momento, cercou manifestantes desarmados e isolados espancando-os coletivamente sem qualquer justificativa e sem que esses manifestantes representassem qualquer ameaça", escreveu.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO