POLÍTICA

Quatro ficam feridos em ato contra terceirização

Protesto em Brasília foi marcado por confronto entre manifestantes e policiais. Em São Paulo, protesto contou com 400 pessoas e interditou vias da região central

Por: Veja São Paulo

Protesto CUT
Manifestante ferido durante confronto com a PM em frente ao Congresso (Foto: Sergio Lima/Folhapress)

Confronto entre manifestantes e policiais militares em frente ao Congresso Nacional, na tarde desta terça-feira (7), deixou quatro feridos e um detido. Além de dois manifestantes, dois parlamentares foram feridos durante o confronto entre a Polícia Militar e ativistas contrários à votação do projeto de terceirização de mão de pauta, em pauta na Câmara dos Deputados.

O ex-líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), foi atendido no ambulatório da Câmara depois de ser atingido por spray de gás de pimenta. O deputado Lincoln Portela (PR-MG) sofreu um corte na boca, que atribuiu aos manifestantes, e foi também atingido por spray de pimenta.

Os policiais fizeram um cordão de isolamento em frente ao espelho d'água do prédio do Congresso para impedir o acesso dos manifestantes. Carros que estavam estacionados próximos ao local da manifestação foram também depredados. Os manifestantes contabilizam dois feridos e um detido. Segundo Jobert Fernando de Paula, do Sindieletro de Minas Gerais, os dois feridos já estavam dentro do Congresso. Eles foram levados para a enfermaria da Câmara. Já o detido foi preso ao tentar invadir a Câmara.

+ Confira as últimas notícias

Segundo a PM, foram os manifestantes que iniciaram o confronto. "Eles atiraram pedras grandes e paus nos policiais. O que houve foi a contenção dos meliantes e a utilização proporcional da força", informou o capitão Hélio Chagas, que comanda a operação em frente ao congresso.

Questionado sobre o fato de o deputado Vicentinho ser atingido por gás de pimenta, ele afirmou que foi Vicentinho quem se dispôs a ficar ao lado dos manifestantes contra a polícia. O policiamento na Esplanada dos Ministérios foi reforçado e já chegaram mais homens da polícia ao local.

A Polícia fez a barreira para evitar a invasão do prédio do Congresso Nacional. A manifestação é organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). O projeto de terceirização está na pauta do plenário da Câmara nesta terça-feira e o governo trabalha para adiar para o final do mês a apreciação da proposta.

O deputado Lincoln Portela (PR/MG) foi atingido por spray de pimenta. Dois manifestantes feridos, um deles com sangramento na cabeça, foram socorridos e levados em cadeiras de rodas para o interior do Congresso.

Atos

O protesto em Brasília integra uma série de manifestações organizadas pela CUT para ocorrer em várias cidades do país. Na capital paulista, manifestantes interditam na manhã desta terça-feira (7) duas faixas da rua da Consolação, no sentido centro, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Ao menos 400 pessoas participaram do ato, de acordo com a Polícia Militar. Eles se concentraram mais cedo em frente ao Hospital das Clínicas, na avenida Doutor Enéas de Carvalho Aguiar, em Cerqueira César, percorreram a Avenida Rebouças e seguiram caminhada em direção à Praça da República. (Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO