Educação

Protesto de funcionários e alunos fecha a entrada da USP nesta quarta

Grupo reivindica reajuste nos salários dos servidores e pede a reabertura das negociações

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Cerca de 200 pessoas protestam na manhã desta quarta-feira (11) em frente ao portão um da Universidade de São Universidade de São Paulo (USP), no Butantã, Zonas Oeste. O ato é promovido por alunos e funcionários que pedem a reabertura das negociações com a instituição para o reajuste salarial. 

+ Tumblr "coloca" bens da USP à venda

Os manifestantes bloquearam a entrada do local, impedindo a passagem de trabalhadores que não aderiram à greve. O ato atrapalhou o trânsito. Por conta disso, alguns motoristas discutiram com os participantes.

+ USP perde posto de melhor universidade da América Latina

Professores, funcionários e estudantes da USP iniciaram no dia 27 de maio uma greve por tempo indeterminado. A paralisação foi organizada em protesto à decisão do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) de adiar o reajuste nos salários dos servidores. 

A reposição salarial ocorre geralmente em maio. Unicamp e Unesp também foram afetadas com a decisão e aderiram à greve.

De acordo com o Cruesp, os gastos com salários vêm comprometendo demasiadamente as receitas das três universidades. Na USP, 104,22% do orçamento é destinado para a folha de pagamento. Na Unicamp e na Unesp, os percentuais são de 96,52% e de 94,47%, respectivamente.

Fonte: VEJA SÃO PAULO