Cidade

MAM procura casal que noivou no museu nesta semana

Rapaz fez o pedido de casamento em obra interativa de Rivane Neuenschwander. Ela disse sim

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

OBRA MAM - Casamento
Obra de Rivane Neuenschwander serviu de cenário para um pedido de casamento feito no museu na última quarta (1) (Foto: Reprodução)

Na tarde da última quarta (1), um dos seguranças do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) presenciou uma cena curiosa no salão que abriga a obra Quebra-Cabeça, de Rivane Neuenschwander. O trabalho da artista mineira é composto de letras esculpidas em laranjas desidratadas dentro de caixas de madeira, com as quais o público pode interagir formando palavras.

+ Esculturas hiper-realistas de Ron Mueck serão exibidas na Pinacoteca

+ Dez curiosidades sobre Ron Mueck

Um rapaz se aproximou do local acompanhado da namorada e escreveu a seguinte frase: “Quer casar comigo?”. A moça respondeu à mesma maneira: “Sim”. Segundo o segurança que presenciou a cena, o visitante retirou uma aliança do bolso, ajoelhou-se e colocou o anel no dedo da amada.

Noivado  - MAM
Procura-se um casal apaixonado: rapaz teria pedido a namorada em casamento no MAM, na última quarta (1) (Foto: Reprodução)

Emocionado, o vigilante procurou as funcionárias de mídias sociais para registrar o momento mas, ao retornarem ao salão, o casal já havia ido embora. O registro da obra romântica, entretanto, foi feito e está exposto na página do Facebook do museu. E todos por lá estão à procura do casal apaixonado.

A imagem do pedido de casamento inusitado já teve mais de 1 000 compartilhamentos na página da instituição. VEJA SÃO PAULO obteve com exclusividade uma descrição do casal. De acordo com o segurança, o noivo tem cabelos castanhos, pouco mais de 30 anos, é magro e alto. Já a garota é baixinha, tem cabelos castanhos e lisos, na altura dos ombros.

Quem tiver informações sobre o casal deve entrar em contato com a assessoria de imprensa do MAM através do e-mail mkt@mam.org.br. Tudo indica que ainda existe amor em SP.

Fonte: VEJA SÃO PAULO