Cidade

Maluf é condenado a pagar multa de 42,3 milhões de reais

Decisão faz com que o deputado federal fique fora das eleições nos próximos cinco anos; Maluf ainda pretende recorrer

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Paulo Maluf
O ex-prefeito e governador de São Paulo, Paulo Maluf deve pagar multa por desvio de dinheiro em obra do túnel Ayrton Senna (Foto: Mario Rodrigues)

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou nesta segunda (04) o deputado federal Paulo Maluf, do Partido Progressista (PP), a pagar multa de 42,3 milhões de reais por desvio de dinheiro. A fraude ocorreu durante a construção do túnel Ayrton Senna, entre 1993 e 1996, quando ele era prefeito da capital.

Além do valor a ser pago, a decisão faz com que Maluf fique fora das disputas eleitorais nos próximos cinco anos. Ao todo, três desembargadores votaram contra.

A obra, que liga a Avenida Vinte e Três de Maio à Avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade, dando acesso a bairros como Itaim Bibi e Morumbi, foi orçada inicialmente em 147 milhões e acabou custando 728 milhões, o equivalente a 2,2 bilhões nos valores atuais.

Os 42,3 milhões devem ser quitados por Maluf e Reynaldo de Barros, na época presidente da Emurb; Constran e CBPO, todas ligadas ao ramo da construção. Outros três funcionários da Emurb também foram condenados e deverão pagar uma multa avaliada em 21 milhões de reais, além de 10% desse valor.

Ex-prefeito e governador de São Paulo, Maluf disputou treze eleições nos últimos 31 anos e, segundo a atual Lei da Ficha Limpa, os políticos condenados em razão de crimes contra a administração pública ficam fora das disputas. Seu mandato como deputado federal termina em 2014.

A assessoria de imprensa de Maluf informou em nota que o deputado não se tornou 'ficha-suja' e afirma ainda que ele deve recorrer ao Superior Tribunal de Justiça sobre a decisão. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO