Memória

Mais de um século de misericórdia

Aos 130 anos, a Santa Casa busca recursos para saldar dívidas e não fechar as portas

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Ricardo Rossetto]

Ed. 2388 - Santa Casa - 130 anos - Amas de Leite
Amas de leite, em 1909: 4 696 órfãos foram criados por lá (Foto: Acervo do Museu da Santa Casa de São Paulo/Pesquisa de Maria Nazarete de Barros Andrade)

Inaugurada em 31 de agosto de 1884 em um terreno de 50 000 metros quadrados na Vila Buarque, a Santa Casa de Misericórdia estabeleceu um novo padrão de saúde pública ao controlar a proliferação de doenças e epidemias na capital. Projetado pelo arquiteto italiano Luigi Pucci, o prédio de estilo neogótico já funcionou como asilo, albergue e creche.

+ Livro traz fotos e curiosidades sobre a Represa de Guarapiranga

Até 1950, 4 696 crianças foram criadas por amas de leite após ser abandonadas na famigerada roda dos expostos — cilindro no muro da Rua Dona Veridiana, no qual pais deixavam filhos indesejados. Ali também surgiram duas faculdades de medicina — uma em 1912, depois anexada à USP, e a outra em 1963, da própria instituição.

Ed. 2388 - Santa Casa - 130 anos - Consultório
Sala de cirurgia, no início do século XX: padrão de modernidade à época (Foto: Acervo do Museu da Santa Casa de São Paulo/Pesquisa de Maria Nazarete de Barros Andrade)

Prestes a completar 130 anos, com 18 000 funcionários, 39 unidades — onde são realizados 6 milhões de exames e recebidos 3,5 milhões de pacientes anualmente —, e proprietária de 250 imóveis, a Santa Casa tenta administrar uma dívida de 350 milhões de reais, o que a obrigou a fechar o pronto-socorro em julho.

Fonte: VEJA SÃO PAULO