administração

Shoppings e universidades são suspeitos de fraudar IPTU

Ministério Público listou 84 empreendimentos sobre os quais há fortes indícios de esquema para pagar menos imposto. Prejuízo pode ser de milhões de reais

Por: - Atualizado em

São Paulo - cidade - vista
Vista aérea da cidade: prejuízo para os cofres públicos pode ser de milhões de reais (Foto: Mariana Oliveira)

Ao menos 84 empreendimentos da cidade estão sendo investigados pelo Ministério Público Estadual de São Paulo sob suspeita de participar da Máfia do IPTU. De acordo com o promotor Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec), entre eles há "shopping centers e universidades".

Os nomes ainda não foram divulgados, para não atrapalhar as investigações, e nenhuma dessas empresas será convocada a curto prazo para prestar esclarecimentos. "Estamos ainda reunindo mais evidências", diz Mendroni.

+ Manifestantes marcam novo protesto contra a Copa

+ Multas por falta de inspeção serão suspensas

A Promotoria afirma ter provas de que o esquema envolvia os mesmos fiscais da Máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços). Em um mandado de busca e apreensão na casa desses acusados é que foram encontradas anotações manuscritas nas quais valores apareciam ao lado de números, que depois se descobriu serem referências a cadastros do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Depois, cruzando dados e documentos, perceberam que construções eram registradas como menores que seu volume real no Cadastro Imobiliário Fiscal do Município, para que o pagamento anual fosse menor. Os fiscais dividiam esse "desconto" com o empresário.

Mandroni não divulgou os valores, mas para VEJA SÃO PAULO disse que estão na casa "dos milhares de reais". "Há números como 15 000, 20 000." No conjunto, a soma da fraude nos 84 empreendimentos pode ser de milhões de reais.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO