Exposição

"Lygia Clark: uma retrospectiva" estreia neste sábado (1º)

Programação no Itaú Cultural inclui obras inéditas da artista, seminários, atividades experimentais e produtos em formato digital

Por: Fernanda Bonadia - Atualizado em

Lygia Clark uma retrospectiva Itaú Cultural
Interação e experimento das formas: série "Bichos", 1963 (Foto: Alexandre dos Santos Silva)

Um panorama das obras de Lygia Clark é a proposta da exposição que entra em cartaz neste sábado (1º), no Itaú Cultural. Intitulada "Lygia Clark: uma retrospectiva", a mostra tem entrada gratuita e reúne desde pinturas do início de sua carreira até projetos inéditos, realizados a partir de documentos deixados pela artista.

Entre as novidades, o "Homem no Centro dos Acontecimentos" e "Filme Sensorial". São duas produções feitas pelo próprio Itaú Cultural. A primeira traz projeções de vídeos nas quatro paredes de uma pequena sala, dando ao espectador a sensação de caminhar pela rua. A outra é a experiência de vivenciar a rotina de um sujeito através apenas de som e luz.

Além da mostra com um total de 150 obras, a programação inclui dois seminários abertos ao público, com transmissão ao vivo pela web, atividades experimentais e dois produtos em formato digital. Confira abaixo a agenda completa:

+ Conheça imagens transformadas pelo Photoshop de Mestre Júlio Santos

+ Assista ao vídeo da mostra com os figurinos de Ney Matogrosso

Seminários

Muito Além do Lúdico

Serão abordadas as formas de interação existentes na produção de Lygia Clark.

■ Quarta (05), às 19h30

O Lugar da Invenção

Temas incomuns, que não costumam ser tratados por estudiosos ou críticos da obra de Lygia, estarão em debate. As práticas artísticas adotadas ao longo de sua trajetória também serão tema do bate-papo.

■ Quinta (06), às 19h30

Lygia Clark um retrospectiva Itaú Cultural
'Trepante', de 1965 (a esq.), e 'Escada', de 1951: retrospectiva de Lygia Clark (Foto: Marcelo Corrêa / Fernando Silveira)

Proposições

Os visitantes terão a oportunidade de vivenciar questões levantadas por Lygia Clark por meio de sessões experimentais com duração de uma hora. Elas estão agendadas sempre para as 17h, mediante inscrição por ordem de chegada. Abaixo, os temas e dias, com a programação de setembro:

Corpo Coletivo (domingo, dia 2): Os participantes vestem macacões costurados uns aos outros, impedindo movimentos comuns, como andar e sentar.

Cesariana (sábado, dia 8, e domingo, dia 9): Homens vestem um macacão com uma bolsa de borracha na frente, fechada com zíper e recheada de flocos de espuma, que devem ser retirados.

Casal (sábado, dia 15, e domingo, dia 16): Uma mulher com uma máscara sensorial entra em cabine feita de arame e plástico transparente. A estrutura é presa a um homem, que é o responsável por movimentá-la.

O Eu e o Tu (sábado, dia 22, e domingo, dia 23): Um homem e uma mulher, com os olhos vendados, vestem macacões interligados. Cada roupa possui seis aberturas com zíper e elas contêm materiais que imitam órgãos do corpo.

Rede de Elásticos (sábado, dia 29, e domingo, dia 30): Em grupo, os participantes montam uma rede unindo centenas de elásticos. Em seguida, todos se entrelaçam a ela e se movimentam, formando uma espécie de corpo coletivo.

Produtos digitais

O Museu Virtual é a reconstrução interativa de obras da artista que estará disponível no site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br), a partir de domingo (2). Já o Livro-Obra é um aplicativo para iPad que recria a experiência da obra de mesmo nome de Lygia Clark. Estará disponível gratuitamente na Apple Store, mas ainda não tem data definida.

Fonte: VEJA SÃO PAULO