POLÍTICA

Lula faz piada com redução de velocidade em São Paulo

Ao notar ausência de Haddad em evento em São Bernardo, ex-presidente disse que prefeito estava "vindo a 50 km/h"

Por: Estadão Conteúdo

Lula - Memorial da Democracia
Lula: piada com Haddad sobre velocidade em São Paulo (Foto: Alex Falcão/Futura Press/Folhapress)

Durante evento no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva arrancou risos da plateia ao fazer uma brincadeira com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

No lançamento do Memorial da Democracia, nesta terça (1º), em que compareceram alguns prefeitos da região metropolitana, Lula brincou com a ausência de Haddad. “Vai ver ele {Haddad] está vindo a 50 quilômetros por hora. Ou então de bicicleta”, disse, em referência à redução dos limites de velocidade nas vias da cidade e às ciclovias - duas marcas da gestão do prefeito petista.

O ex-presidente também falou sobre as investigações que levaram correligionários à prisão – na terça, a Polícia Federal indiciou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto por envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. “Na vida a gente paga pelo erro”.

Aécio, Alckmin e Serra venceriam Lula em 2018, diz Ibope

Segundo Lula, no entanto, as falhas cometidas pelos companheiros não podem contaminar todo o partido. “O PT tem um milhão e não sei quantos mil filiados. É evidente que em uma família deste tamanho existe o risco de alguns companheiros terem cometido erros. Na vida, quando a gente comete erro a gente paga pelo erro. Temos defeitos, mas ninguém fez mais do que nós fizemos por este país.”

Protestos

O ex-presidente classificou o momento atual como “delicadíssimo”. Para ele, as manifestações contra o PT e o governo Dilma Rousseff mostram uma “irracionalidade emocional da sociedade”. Lula, porém, separou os manifestantes em dois tipos e disse que o partido não pode reclamar de quem vai às ruas cobrar melhorias.

“A única coisa é que temos que medir as consequências, se estamos fazendo aquilo que nós nos propusemos a fazer. E a gente tem que medir a pressão para saber por que eles estão se manifestando”, disse. 

A frase foi interpretada como um recado a Dilma. O outro tipo de manifestante, segundo Lula, é aquele que sai de casa para pedir a volta dos militares ao poder, o fim das cotas nas universidades públicas e outros “retrocessos”. Para Lula, contra esse tipo de ato o PT tem de “pelejar”.

+ Confiras as últimas notícias

Lula ainda fez um ataque indireto ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Tem presidente que fez reunião enquanto era presidente com empresário para arrecadação.

A imprensa finge que não ouve”, disse o petista em referência ao fato de FHC ter reunido empresários no Alvorada, no fim de seu mandato, para colher contribuições para o Instituto FHC. 

Lula tem sido alvo de ataques após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) enviou a investigadores da Operação Lava Jato informações sobre doações de empreiteiras investigadas ao seu instituto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO