Paisagem

Uma lista de lugares para ver São Paulo do alto

De prédios clássicos, como o Copan e o Terraço Itália, até pontos turísticos naturais, como a Pedra Grande e o Pico do Jaraguá, a cidade oferece ótimos mirantes

Por: Livia Deodato - Atualizado em

Terraço Itália
Vista noturna do 42º andar do Edifício Itália, no Centro de São Paulo (Foto: Bia Parreiras)

O barulho, o trânsito e o movimento intenso de pessoas fazem parte da rotina de São Paulo. Mas há lugares que permitem fugir um pouco dessa agitação da metrópole, além de proporcionar vê-la por novos ângulos, a centenas de metros de altura.

 

Escolha um dos pontos mais altos da cidade, gratuitos e pagos, listados a seguir:

Banespão (Edifício Altino Arantes)

Edifício Altino Arantes - Santander
Edifício Altino Arantes - Santander (Foto: Elaine Cristina Mendes)

O terceiro maior edifício da cidade foi construído em 1939 para ser a sede do Banco do Estado de São Paulo (extinto Banespa, Santander desde 2000). Inaugurado em 1947 pelo então governador Ademar de Barros, o projeto do arranha-céu foi inspirado no Empire State Building, de Nova York. Altino Arantes, nome oficial do prédio desde os anos 1960, remete ao primeiro presidente brasileiro do banco. Tem 161,22 metros e 40 andares. Para visitar o topo do edifício, a torre, programe-se para ir de segunda a sexta-feira, das 10 às 15 horas. Aos sábados e domingos, o prédio permanece fechado. Quando estiver no alto, aproveite para tirar boas fotos do Edifício Mirante do Vale, o maior do país, que não permite visitas a seu ponto mais alto.

Copan

Edifício Copan_Oscar Niemeyer
Edifício Copan, de Oscar Niemeyer, o maior prédio residencial da América Latina (Foto: Andre Deak)

O edifício projetado por Oscar Niemeyer, que começou a ser construído em 1951 e foi inaugurado em 1966, tem 115 metros de altura e 35 andares (sem contar a cobertura). Tem 1 160 apartamentos distribuídos em seis blocos, sendo considerado o maior edifício residencial da América Latina. A visitação ao topo ocorre de segunda a sexta-feira (exceto feriados), em horários curtos: das 10h às 10h30 e das 15h às 15h30, com exceção de feriados.

Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha

Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha
A Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha data de 1901 (Foto: Ricardo Correa)

O primeiro projeto da igreja do famoso bairro da zona leste da capital data de 1901. Construída em um dos pontos mais altos da zona leste, a paróquia pode ser avistada de diversos outros bairros da região (como dos bairros Carrão e Tatuapé), inclusive da principal via que liga a zona leste ao centro, a Radial Leste. É possível visitar o alto da torre, contanto que acompanhado de um membro da igreja. Alcançar o ponto mais alto da igreja exige um certo esforço, pois para chegar lá e preciso vencer três tipos de escadas diferentes - uma normal, outra em caracol e mais uma, dos bombeiros. A paróquia fica na Rua Santo Afonso, 199, Penha, tel. (11) 2295-4462, e o horário de visitação é comercial.

Metrô Sumaré

Metrô Sumaré
Da estação Sumaré há uma bela vista da cidade e obras permanentes do artista Alex Flemming (Foto: Veja São Paulo)

A estação Sumaré do metrô é considerada uma das mais bonitas da cidade. Muito de sua fama é por causa da vista parcial que se tem da cidade: no sentido Vila Prudente - Vila Madalena, a vista é para a zona norte da capital e Serra da Cantareira; no sentido Vila Madalena - Vila Prudente, a vista é para a zona sul da capital, com os altos prédios comerciais da Faria Lima em primeiro plano. Inaugurada em 1998, a estação ainda conta com obras do artista Alex Flemming (acima), que retratou rostos comuns de moradores da cidade, e do parque destinado aos skatistas Zilda Natel, que oferece três pistas públicas para a prática.

Mirante de Santana

Mirante_de_Santana_Panorama
A principal estação metereológica do Instituto Nacional de Metereologia fica no Mirante de Santana (Foto: Divulgação)

A principal estação metereológica do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet) é também (e justamente por isso) um dos pontos públicos mais altos da cidade. Está a 792 metros do nível do mar e oferece uma vista parcial do bairro da zona norte e do centro da cidade. Na parte mais alta, restrita aos técnicos do Inmet, é possível ter uma visão de 360º graus de toda a metrópole. Já foi considerado o melhor ponto para observar os fogos de artifício lançados na noite de réveillon na Avenida Paulista. O mirante fica na Praça Vaz Guaçu, s/nº, Jd. São Paulo.

Palácio W. Zarzur (antigo Edifício Mirante do Vale)

Edifício Mirante do Vale
Palácio W. Zarzur, antigo Edifício Mirante do Vale, o mais alto de São Paulo e do Brasil (Foto: Hernan Reig)

É o maior edifício do Brasil e o 18º arranha-céu mais alto da América do Sul. Projetado pelo arquiteto Waldomiro Zarzur, o prédio começou a ser construído em 1960 e foi inaugurado em 1966. Tem 170 metros de altura e 51 andares. Parece ser mais baixo do que o Banespão e o Edifício Itália por estar localizado na região do Vale do Anhangabaú (Av. Prestes Maia, 241). Por ser majoritariamente ocupado por escritórios e residências, o prédio não pode ser visitado - com exceção dos primeiros três andares, onde funcionam restaurantes e botecos.

Pedra Grande (Horto Florestal)

Pedra Grande - Parque Estadual da Cantareira
Pedra Grande, no Parque Estadual da Cantareira, tem 848 metros de altitude (Foto: Guilherme Tosetto)

O acesso até a Pedra Grande, a partir do Parque Estadual da Cantareira (Rua do Horto,1 799), é considerado de nível alto. Mas só se for comparado aos acessos citados acima. O passeio pode ser feito com calma de terça a domingo, das 8h às 17h (somente nos meses de dezembro e janeiro; a partir de fevereiro, volta a funcionar apenas nos fins de semana). A subida até o topo, de 848 metros, não é tão íngreme e leva-se cerca de uma hora para ir e mais uma hora para voltar. Por isso é que para caminhar até a Pedra Grande é necessário chegar até, no máximo, às 15 horas. A taxa de visitação é de R$ 9,00 e, caso chova, o parque não abre.

Pico do Jaraguá

Pico do Jaraguá
Pico do Jaraguá, à noite, do alto de seus 1 135 metros de altura (Foto: Milton Shirata)

O ponto mais alto da cidade de São Paulo é obra da natureza. Com 1 135 metros de altura, o Pico do Jaraguá oferece uma vista de até 55 quilômetros de alcance. A visitação ocorre de segunda a domingo, das 7h às 17h, pelo Parque Estadual do Jaraguá, zona oeste da capital. O acesso ao mirante é feito a pé, numa caminhada de cerca de 2 quilômetros, ou de ou de carro, pela Estrada Turística.

Praça Cel. Custódio Fernandes Pinheiros (Pôr do Sol)

Praça do Por do Sol
Praça do Por do Sol: para admirar a paisagem (Foto: Roberto Setton)

Não foi à toa que a praça do Alto de Pinheiros ganhou o nome de Pôr do Sol. De lá se tem um dos mais belos ângulos do sol se pondo em meio aos arranha-céus paulistanos. Nos fins de semana, há muitos jovens e famílias fazendo piqueniques, empinando pipas ou simplesmente aproveitando a vista.

Skye

Skye: a melhor área ao ar livre  Foto 2
Terraço do Skye, sofisticado bar e restaurante na cobertura do hotel Hotel Unique (Foto: Veja São Paulo)

O bar e restaurante do Hotel Unique também oferece um belo ângulo da cidade. Chega-se ao topo do prédio por um elevador panorâmico, com acesso independente do hotel. O Unique parece alto, mas não é: tem apenas 29 metros e oito andares. Mas como está localizado no bairro dos Jardins, onde há limite de altura para novos edifícios, o resultado é um belíssimo horizonte das zonas oeste e sul da cidade. Comandado pelo chef Emmanuel Bassoleil, tanto o bar quanto o restaurante oferem boas opções de drinques e comidas leves. O ambiente e skyline completam a visita.

Terraço Itália

Terraço Itália
Ambiente do Terraço Itália: vista privilegiada da cidade há 45 anos (Foto: Bia Parreiras)

O topo do Edifício Itália é arrebatador: proporciona uma visão de 360º de quase toda a cidade de São Paulo. É o segundo maior prédio da cidade, com 165 metros de altura e 46 andares. Começou a ser construído em 1960 e foi finalizado cinco anos depois. Localizado na esquina das avenidas Ipiranga e São Luís, o prédio é patrimônio histórico. Jantar no restaurante não é um programa barato, mas vale a pena programar-se para uma data especial.

Vão livre do Masp

Feira do Masp
Vão Livre do Masp: espaço que costuma abrigar manifestantes também oferece vista da cidade (Foto: Divulgação)

Durante todo o ano, o vão livre do Masp é palco para diversas manifestações, feiras livres, exibições de filmes, flashmobs e apresentações de artistas de rua. Por causa da correria do dia-a-dia, pouca gente vai até o fim do vão para observar boa parte da cidade. Do espaço amplo de 74 metros projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi e inaugurado junto ao museu em 2 de outubro de 1947, que já começa a ser ofuscado por novos edifícios, ainda é possível ver grande parte do centro da cidade e a zona norte da capital, incluindo um trecho da Serra da Cantareira.

Fonte: VEJA SÃO PAULO