Eleições

Luciana Genro pede voto branco ou em Dilma e Eduardo Jorge apoia Aécio

Candidatos à Presidência declararam quais suas preferências no segundo turno disputado entre PT e PSDB

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Luciana Genro
Luciana Genro (PSOL) pede que militantes votem nulo ou em Dilma Rousseff (PT) (Foto: Sayuri Kubo)

Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL) e Pastor Everaldo (PSC), que disputaram o primeiro turno das eleições presidenciais neste ano, abriram seus votos para o segundo turno, que será protagonizado pela presidente Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

Depois de participar de uma reunião com seu partido nesta quarta (8), Luciana Genro, que obeteve mais de 1 milhão de votos na eleições, decidiu não apoiar nenhum dos candidatos ao segundo turno. Entretanto disse que não é "cabível" o voto dos militantes da legenda em Aécio Neves. Os filiados foram direcionados a votar nulo, em branco ou na presidente Dilma Rousseff.

+ Saiba quais artistas viraram a casaca nas eleições deste ano

Genro afirmou ainda que, para "garantir a unidade partidária", não divulgaria seu voto. "O PSOL, em hipótese alguma dará algum voto ou qualquer tipo de apoio a Aécio Neves. Não temos absolutamente nada em comum com Aécio Neves, que representa retrocesso. Entendemos que é necessário, portanto, que o PSOL, a partir de se posicionar claramente contrário ao Aécio, mantenha a neutralidade, no sentido de liberar seus militantes, seus filiados, tanto para o voto nulo, voto branco, como para o voto em Dilma. Isso será uma decisão de cada um", afirmou.

eduardo jorge0
Eduardo Jorge (PV) declara apoio a Aécio Neves (PSDB) no segundo turno (Foto: Reprodução)

Por outro lado, os demais candidatos à Presidência, Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC), declararam nesta quarta apoio à candidatura de Aécio Neves no segundo turno. Ambos participaram do ato político organizado pelos tucanos para inaugurar a campanha de Aécio e fizeram discursos de apoio ao candidato do PSDB.

Eduardo Jorge, que recebeu mais de 630 000 votos no primeiro turno, chegou a fazer críticas ao programa de governo do tucano, por não incluir pontos considerados "vitais" para o Partido Verde. No entanto afirmou que Aécio é quem reúne melhores condições para governar o país.

Pastor Everaldo, que tem grande apoio de parte de evangélicos, declarou que Aécio representa a "verdadeira mudança" para o país . "O Aécio representa a verdadeira mudança que esse país está precisando. Conte comigo, o meu nome é Aécio Neves", disse Pastor Everaldo. No primeiro turno, ele teve 780.513 votos.

+ Famosos que abriram o voto para presidente nas redes sociais

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO