Riviera

Looks de verão

 Maiô com alfaiataria, canga usada como bolsa e turbante... As peças de moda praia e as urbanas estão mais integradas do que nunca

Por: Nextel - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O asfalto invade a areia e a areia invade o asfalto nessa estação que, como previram designers e editores de moda, ganha ainda mais informalidade do que nos últimos verões. Para quem duvida do casual como sinônimo de elegância no calor, a stylist e consultora de moda Luanda Barros explica: “Claro que dá para ser elegante até nos dias mais quentes do ano! Fugir do justo e optar por roupas mais soltas, de modelagens mais amplas, que permitam o vento circular pelo corpo, sempre nos levarão por caminhos mais garantidos do que as peças que mostram demais as formas. Esse ar casual sugerido por Luanda confirma-se nas tendências das principais marcas internacionais para as altas temperaturas de 2015, que apostaram em vestidos leves, em uma revisita aos anos 1970 e na força total do jeans.

A stylist Drica Cruz, que já trabalhou para todos os grandes veículos de moda do país, sugere um toque de personalidade aos looks desta estação. A peça do verão 2015 eleita por ela é o maiô usado no dia a dia como body. “Ele vem em manga longa, 3/4, curta ou sem manga com toda força para o guarda-roupa. Pode ser misturado a peças casuais e também mais clássicas, como as de alfaiataria. Isso foi uma tendência ditada pelas passarelas internacionais, e as brasileiras entenderam muito bem!”, opina.

Maiôs conquistam mais atenções

Os maiôs invadem as cidades, mas as praias o recebem também de braços abertos, com cada vez mais jovens adeptas da peça única. A preferência da vez: decotes profundos e diversas modelagens. “Adoro nossa moda praia, ela é reconhecida internacionalmente pelo seu DNA próprio, pela variedade de cores, estampas e matérias-primas”, diz Drica.

Apesar de tantas opções em padronagens, tecidos e modelos, o jeito mais garantido de acertar na areia e no mar, segundo Luanda, é recorrer ao básico. “Na praia, chique é ser simples. Um bom biquíni, que a deixe confortável com o seu corpo, ou um maiô – que voltou com tudo –, além de uma boa canga ou saída de banho. Não tem mistério”, aconselha.

E a canga, que foi até um pouco esquecida pelas trendsetters no início da década, nunca abandona a brasileira. “É um item de muita versatilidade, não podemos negar! Útil para estender na praia e piscina, para se secar, e também esconder imperfeições do corpo. Existem várias maneiras de montar looks práticos com cara de verão. A canga pode ser usada como saia ou vestido em diversas amarrações, além de proporcionar um belo turbante pelo seu tecido leve e fino”, indica a stylist Drica. Luanda concorda: “A canga é ótima para encontrar um jeito bacana de amarrar, sair da praia e continuar a programação de forma mais arrumadinha”, completa.

O Major das Cangas

Entra tendência, passa moda, e Mário Jorge Nachbar Brito da Silva, o Major Cangas, mantém-se um clássico nas praias. Há 30 anos, ele faz mágica com esse item, transformando cangas em peças como bolsas, turbantes, vestidos e macaquinhos surpreendentes. Começou quando trabalhava em uma estamparia. Um belo dia, começou a amarrar um pedaço de tecido em volta do corpo – essa técnica de amarração chama-se moulage – e não parou mais. “Não aprendi com ninguém. Foi por causa do meu dom para moda praia! Sou descendente de índios, nasci na Bahia e trabalhei na praia desde criança”, conta. Ele começou a desenvolver sua técnica sozinho, na frente do espelho, até criar modelos nas próprias clientes. Major já mostrou seu dom em vários programas de TV, e seu trabalho o levou a Milão e Pescara, na Itália. “E no Brasil, vou muito a várias praias do Nordeste, todo ano”, diz.

Há 15 anos, o baiano mora e trabalha na Riviera de São Lourenço, litoral norte de São Paulo.

Ideias leves

A consultora de moda Luanda Barros sugere cinco looks criativos para esta estação:

  • batas mexicanas supercoloridas 
  • o bom e velho short jeans com top cropped
  • canga amarrada formando uma saia midi com um top mais justo e curto
  • maiô com saia longa
  • bermuda de alfaiataria tamanho midi com camisa clássica de botão e chapéu Panamá 

Fonte: VEJA SÃO PAULO