Drogas

Na TV, modelo que perdeu tudo para o crack reencontra mãe e diz; "Quero a recuperação"

Caso da ex-modelo Loemy Marques vai ao ar no programa de Rodrigo Faro, da TV Record. Ela deixa a Cracolândia, reviêa mãe depois de um ano e é internada em clínica de recuperação

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Foi ao ar hoje (30), no programa Hora do Faro, da Record, a entrevista de Rodrigo Faro com a ex-modelo Loemy Marques, de 24 anos, que teve sua história publicada na capa de Veja São Paulo da última semana. A conversa, intermediada pela ONG Centro Assistencial ao Povo Carente, começou nos arredores da Cracolândia. O cheiro de outros usuários fumando crack, porém, desestabilizou Loemy, que afirmou sentir sintomas de abstinência. "Começo a tossir, me arrepio toda", disse.

+ Loemy é internada em clínica particular

Loemy e Faro seguiram então para o estúdio da Record, onde Loemy relembrou a complicada relação familiar. "Eu sinto falta da minha mãe, eu gosto dela. Queria que ela se importasse um pouco mais comigo", completou. A mãe da ex-modelo, Elizabeth Marques, veio do interior do Mato Grosso para acompanhar o processo de tratamento da filha, cujos custos estão sendo pagos pela produção do programa.

No palco, a relação entre mãe e filha apresentou sinais de tensão. "Você precisa querer se tratar, minha filha", afirmou Elizabeth, que já tentou outras vezes internar a filha em clínicas de reabilitação."É muito triste, de coração. Mas você não é má, filha", completou.

Já maquiada, com os dentes tratados e bem vestida, Loemy afirmou estar ansiosa pelo tratamento. "Quero ir logo pra clínica, porque lá eu não tenho pra onde fugir. Aqui, eu tenho", disse. "Se você fugir aqui, eu corro e te pego", brincou Rodrigo Faro.

 Ao ser perguntada sobre seus sonhos, Loemy afirmou: "Ontem, eu queria droga. Hoje, o que eu quero é a recuperação. Amanhã, posso querer algo mais da vida". No fim do programa, mãe e filha entraram no carro que seguiu para a clínica, onde deverá ficar internada por pelo menos dois meses.

 

 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO