Mistérios da Cidade

Paulistano não sabe descartar lixo eletrônico

Cooperativa na Barra Funda opera abaixo da capacidade. Saiba onde deixar seus equipamentos antigos

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Silas Colombo]

Lixo eletrônico
Cooperativa na Barra Funda: operando abaixo da capacidade (Foto: Fernando Moraes)

Quase 100 toneladas de computadores e 2 200 toneladas de celulares são descartadas anualmente no Brasil, segundo a ONU. Esses e outros equipamentos eletrônicos necessitam de um descarte especial, pois são compostos de metais pesados e tóxicos. A questão é que, aparentemente, o paulistano não sabe onde fazer isso. Única cooperativa da capital especializada na reciclagem desse tipo de material, a Coopermiti (foto) está operando bem abaixo de sua capacidade por falta de matéria-prima, ou seja, lixo. Os resíduos podem ser entregues na sede da Barra Funda, depositados em pontos de coleta pela cidade (endereços em www.coopermiti.com.br) ou recolhidos pela empresa em um endereço indicado.  

+ Os países onde mais nascem filhos de paulistanos

+ Informatização ajuda a reduzir quase à metade prazo de tramitação de processos trabalhistas

+ Guia lista endereços de ONGs dedicadas a pessoas com deficiências

Lixo Eletrônico
(Foto: Veja São Paulo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO