Memória

Livro tenta desvendar enigma de assassinatos de Castelo da Rua Apa

Os irmãos Álvaro e Armando dos Reis foram encontrados mortos ao lado da mãe, Maria Cândida, no casarão na Santa Cecília 

Por: Maurício xavier [com reportagem de Alessandra Freitas] - Atualizado em

Castelo Rua Apa
Os irmãos Álvaro e Armando (à esq. e no centro) e a mãe, Maria Cândida (à dir.): alta sociedade (Foto: Reprodução)

Um dos crimes icônicos da capital virou tema de um livro. No próximo dia 3, O Castelinho da Rua Apa (Editora Equilíbrio; 200 páginas; 40 reais) reconstitui a tragédia de 12 de maio de 1937. Membros da alta sociedade, os irmãos Álvaro e Armando dos Reis foram encontrados mortos ao lado da mãe, Maria Cândida, no famoso casarão em Santa Cecília.

Castelo Rua Apa
A mansão na noite da tragédia (Foto: Reprodução)

Existem várias teses para explicar o caso, até hoje sem solução. Uma das mais populares afirma que, durante uma briga, os filhos teriam trocado tiros e atingido a senhora de 73 anos. Já a obra sustenta que o trio teria sido assassinado por uma quarta pessoa, cuja identidade nunca foi revelada.

Castelo Rua Apa
Jornal da época do crime (Foto: Reprodução)

Para defender essa teoria, reúne documentos como o boletim do Instituto Médico-Legal e o laudo da perícia com a posição dos corpos. “Minha intenção é limpar o nome da família”, diz a autora, Leda Kiehl, sobrinha-bisneta de Maria Cândida.

Castelo Rua Apa
Jornal da época do crime (Foto: Reprodução)

Hoje abandonada, a mansão é figura carimbada em listas de pontos mal-assombrados. Ao longo das últimas décadas, vários vizinhos relataram ter visto vultos no local. Há poucos dias, o Fundo de Interesses Difusos (FID) liberou recursos para a revitalização do imóvel, tombado em 2004.

Castelo Rua Apa
Arma do crime (Foto: Reprodução)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO