Metrô

Vagões lotados também fazem parte da Linha Verde

Abertura da Linha Amarela congestionou o percurso que, anteriormente, era mais tranquilo

Por: Daniel Salles - Atualizado em

Vagão lotado Metrô - 2216
Trecho da linha que corta a Avenida Paulista, no dia 12 de abril: congestionamentos diários (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

A abertura da Linha Amarela do metrô, em maio do ano passado, criou um efeito colateral indesejado: congestionou a Linha Verde, com a qual ela possui conexão. Sinônimo de tranquilidade até pouco tempo atrás, a linha que serpenteia por baixo da Avenida Paulista chega hoje a registrar 6,5 pessoas por metro quadrado em seus trens — o limite de desconforto considerado aceitável é de 6.

Para conseguir entrar nos vagões nos horários de pico, alguns passageiros acabam embarcando no sentido contrário ao pretendido, para iniciar a viagem em estações afastadas, com menos alvoroço. “Por ser muito aguardada, a Linha Amarela deverá ficar marcada por excesso de passageiros desde o início e impactará toda a rede”, prevê Horácio Augusto Figueira, consultor em engenharia de tráfego e transportes. “A única solução possível é diminuir as pausas entre as composições.”

Atualmente, apenas cinco dos 29 trens do novo ramal estão em funcionamento. Eles circulam das 4h40 às 15h, de segunda a sexta, com um intervalo de três minutos e meio. Só em 2014, quando todas as composições estiverem em uso, a espera cairá para um minuto e quinze segundos. Para o ano que vem, a administração do serviço promete abreviar o intervalo nos pontos mais antigos da rede — dos atuais dois minutos, nos horários de pico, para 1 minuto e meio, no máximo.

+ Estações de metrô como a Pinheiros podem se tornar cartões-postais

Fonte: VEJA SÃO PAULO