ARTE URBANA

Grafiteiro Kobra faz maratona artística na cidade

Artista iniciou trabalhos nesta terça (14) na Cracolândia e contou com a participação de dependentes químicos

Por: Veja São Paulo

Eduardo Kobra
O grafiteiro Eduardo Kobra durante intervenção artística na Cracolândia (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

O grafiteiro e muralista Eduardo Kobra começou nesta terça (14) uma série de intervenções artísticas na capital paulista. A primeira ocorreu na Cracolândia, região central da cidade, e contou com a participação de usuários de drogas.

+ Eduardo Kobra ganha projeção internacional com painéis no exterior

Kobra, sua equipe pintaram um quadro simbolizando o desejo de liberdade. Já os dependentes químicos tiveram a oportunidade de pintar de forma. Começaram timidamente, mas depois começaram a se expressar por meio da arte.

Eduardo Kobra
Moradores da cracolândia participam de trabalho artístico (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Nesta quarta (15), o grafiteiro estará na Praça Oswaldo Cruz, 124, no começo da Avenida Paulista, dando continuidade ao projeto São Paulo: Realidade Aumentada. Para participar, é preciso baixar o aplicativo Kobra AR.

Um dia antes das intervenções, Kobra divulga em seu perfil no Facebook qual muro da cidade será trabalhado. 

Projeção internacional

Além de grafiteiro com várias obras na capital, Kobra vem conquistando projeção internacional. Nos últimos meses, os traços do artista nascido no bairro do Campo Limpo, na Zona Sul, estão se espalhando com velocidade por capitais fora do país. Recebeu convites para mostrar seu trabalho nas Ilhas Maurício, Índia, Bélgica e França.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Kobra desenhou o rosto de Hillary Clinton —segundo ele, a pedido da campanha presidencial da americana, que deve concorrer à Casa Branca em 2016. 

A crescente penetração de seu nome fora do Brasil se deve em boa parte à parceria com um influente nome da arte urbana, o francês Thierry Guetta. Também conhecido como Mr. Brainwash, ele tem ajudado a impulsionar a carreira do paulistano no exterior por meio de contratos com agentes estrangeiros.

Um painel encomendado a Kobra custa entre 80 000 e 100 000 reais. Nesse tipo de pedido, que exige em média de dez a trinta dias para ser realizado, o muralista conta com a ajuda de pelo menos dois auxiliares. No site pessoal, ele aumenta a receita vendendo gravuras a 3 400 reais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO