Crianças

Avaliamos o KidZania, novo parque do Shopping Eldorado

Com atividades interessantes que simulam profissões, o passeio tem ingressos a preços bem salgados

Por: Bárbara Öberg - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A cada meia hora, uma simulação de um grande incêndio acontece no hotel da cidade fictícia de KidZania. Em poucos minutos o minicarro dos bombeiros chega e dele sai um grupo de crianças treinadas para controlar o fogo em poucos minutos. Se houver algum ferido, uma ambulância com pequenos médicos socorre a vitima, que é encaminhada para o hospital, onde ocorrem também operações, como transplante de fígado. Toda essa agitação pode ser conferida na primeira unidade brasileira da rede mexicana KidZania, instalada no Shopping Eldorado desde dezembro. Por lá ocorrem ainda simulações de casos enfrentados em uma delegacia, cozinha de restaurante, agência de publicidade, laboratório de ciências e até em uma redação de jornal. A ideia ali é o visitante escolher quais profissões quer desempenhar durante o passeio, entre as 52 opções disponíveis.

+ Saiba mais sobre a inauguração do KidZania

O parque mostra-se bem organizado, limpo e oferece um mix de atrações capaz de divertir e agradar ao público de 4 a 14 anos, mas tem um importante problema: o preço do ingresso revela-se um balde de água fria e só vale a pena para quem tiver certeza de que a criança se identifica com o passeio. Varia de 100 a 120 reais para os pequenos - os de até 4 anos junto de outro pagante entram de graça e a garotada a partir de 8 anos pode ficar sozinha por lá. Apenas para acompanhar, os adultos desembolsam entre 50 . Quem optar por investir no programa, deve se atentar ao horário de funcionamento para aproveitar ao máximo. O KidZania abre das 9h às 14h e das 15h às 20h, ou seja, a permanência máxima é de cinco horas e cada atividade dura, em média, de vinte a trinta minutos. Para aliviar, oferece parcelamento em cinco vezes em cartões de crédito Visa e Mastercard.

+ Confira o nosso especial de férias  

Ao cruzar o portão de entrada, semelhante a um aeroporto, o visitante recebe um cheque de 50 kidZos – moeda local. A aventura começa com uma ida ao banco para trocar o cheque por cédulas ou um cartão, usados para ingressar nos diversos estabelecimentos e instituições da cidade. Depois de “trabalhar” em uma das áreas, eles recebem o salário em kidZos – a moeda pode ser utilizada também para pagar por serviços como manicure. Até fevereiro, mais dezoito atrações serão abertas, entre elas uma fábrica de chocolate.

kidzania2
Tabela de profissiôes e salários do KidZania (Foto: Meriane Morselli)

Para os adultos que quiserem dar um tempo do constante barulho da música ambiente somada a sirenes e buzinas dos veículos das brincadeiras, há um espaço equipado com poltronas, wi-fi, tomada para carregar celular e uma cafeteria. Quem estiver acompanhado de crianças de até 4 anos possui à disposição outro ambiente com jogos e brinquedos voltados para essa faixa etária. 

É proibido entrar com alimentos, mas dentro do local, dispõe de unidades do Burger King, 1900 Pizzeria e Kopenhagen, além de uma pequena praça de alimentação. 

Atenção: Neste período de férias escolares, os dias mais cheios são segunda e terça e no fim de semana, principalmente domingo. 

Apesar do preço quase proibitivo, principalmente para quem tem mais de um filho, o programa vale a pena. As crianças adoram, saem com vontade de quero mais, além de trabalharem a autonomia de escolher entre tantas opções diferentes de atividades. Sem falar na organização e limpeza. No nosso teste, nesta sexta (9), com o parque com pouca gente, tudo funcionou muito bem. Pelo menos neste começo, padrão Disney. Que continuem assim. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO