Bares

Kebabel ganha filial mais bacana e espaçosa em Pinheiros

Bar árabe abre sua segunda unidade em Pinheiros com varanda no lugar de mesas na calçada

Por: Fernanda Nascimento - Atualizado em

Kebabel_2160
A nova casa: dois agradáveis salões precedidos de varanda (Foto: Ligia Skowronski)

A matriz do Kebabel está no meio do bochicho: fica na Rua Fernando de Albuquerque, quase na esquina da Augusta, região da Consolação. No fim do ano passado, o bar árabe expandiu seus limites e abriu em Pinheiros sua segunda unidade. Trata-se de mais um exemplo de casa (as outras duas são o Salve Jorge e o Boteco São Bento) cuja filial supera em espaço e simpatia a original. Em vez de mesas na calçada, uma varanda recebe os clientes. Na parte interna, há dois agradáveis salõezinhos de paredes verdes-água decorados com motivos árabes. O cardápio foi reforçado. Além de duas opções de chope Bamberg (R$ 4,50 e R$ 5,00), inclui agora o Colorado Indica (que leva rapadura na receita; R$ 6,80) e Appia (de trigo com mel; o mesmo preço). Ainda fazem parte do menu vinte rótulos de cerveja, como os da americana Flying Dog, marca recém-chegada ao país. Entre as versões disponíveis está a Pale Ale (R$ 17,00 a long neck).

Para acompanhar as bebidas, experimente os saborosos pastéis de arish (R$ 17,00, cinco unidades), recheados com uma pasta de leite coalhado, semelhante à ricota, temperada com cebola, cebolinha, pimenta calabresa e um toque de canela. A preparação na chapa de ferro garante leveza ao petisco. Não surpreendeu o kafta labani (R$ 14,50), que traz bolinhos de carne submersos em uma coalhada quente, pouco consistente. Completam o cardápio oito versões de kebab, sanduíche enrolado no pão pita. O sherazade (R$ 17,90) é composto de tiras de filé de frango, coalhada seca, uva-passa, salsinha, cebola, hortelã e tomate.

Kebabel. Rua João Moura, 871, Pinheiros, Tel.:(11) 3062-7530. 12h/1h (sáb. e dom. a partir das 13h; fecha seg.). Cd: R e V. (ter. a dom. a partir das 18h). www.kebabel.com.br.

BEBIDAS ✪✪✪ AMBIENTE ✪✪✪ COZINHA ✪✪✪

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO