Cidade

Justiça veta rolezinhos que deveriam ocorrer neste fim de semana

O desembargador Rômolo Russo restringiu o acesso de grande número de jovens aos shoppings Aricanduva e Mauá Plaza no sábado (1º) e no domingo (2), respectivamente

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Rolezinho
Rolezinho: evento é barrado pela justiça (Foto: Davi Ribeiro)

Dois "rolezinhos" marcados para ocorrer neste fim de semana foram barrados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. O desembargador Rômolo Russo, da 11ª Câmara de Direito Privado, restringiu na tarde de ontem (31) o acesso de grupos com grande número de jovens aos shoppings Aricanduva e Mauá Plaza no sábado (1º) e no domingo (2), respectivamente. 

 

O magistrado proferiu uma liminar ao recurso interposto pela Associação Brasileira de Lojistas (ALSHOP) contra os organizadores dos eventos. Na decisão, o relator lembrou que os "rolezinhos" vêm ocorrendo desde a década de 1990 e não encontram impedimento na legislação. A realização desses encontros em centros comerciáis, porém, é ilegítimo na medida em que "os demais partícipes davida social tenham que recuar e tenham restringida a sua respectivaliberdade de estar, ir e vir na mesma hora e no mesmo espaço de acesso público".

 

Russo colocou ainda a falta de estrutura adequada, tais como corredores espaçosos e saídas de emergência, como um dos impeditivos dos eventos em shoppings. Em suas palavras, "é fundamental salvaguardar avida, a integridade física, a paz pública e o patrimônio material, moral e intelectual de todos".

A conclusão do texto fez referência à tragédia ocorrida no ano passado dentro de uma casa noturna gaúcha. "Que prevaleça a cautela em face de possível tragédia anunciada (uma nova boate Kiss)", arremata Russo.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO