Polícia

Justiça reduz pena de Roger Abdelmassih para 181 anos de prisão

Entretanto, o ex-médico só conseguirá a liberdade condicional após cumprir dois quintos da condenação

Por: VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a condenação do ex-médico Roger Abdelmassih, julgado por 52 estupros (e quatro tentativas) contra 39 mulheres, em geral suas pacientes. Entretanto, reduziu nessa quinta-feira (16) a pena de 278 anos para 181 anos, 11 meses e 12 dias de reclusão.

+ Em escuta, Roger Abdelmassih diz ter feito sexo com pacientes

A defesa de Abdelmassih reivindicava a suspensão do julgamento que aconteceu há quatro anos, quando ele foi condenado. Na decisão dessa quinta-feira, os desembargadores retiraram alguns crimes que prescreveram, o que proporcionou a redução da pena.

+ "Larissa também é vítima de Roger Abdelmassih", diz ex-paciente

Entretanto, o Tribunal de Justiça acatou um pedido da procuradoria-geral do Ministério Público Estadual para retirar um artigo da primeira condenação que fazia com que Abdelmassih pudesse ficar apenas 30 anos preso. Dessa forma, mesmo com uma pena menor, ele terá de cumprir todos os anos de condenação e só conseguirá a liberdade condicional após dois quintos da pena cumprida.

+ Larissa Sacco: “Ele é meu primeiro e meu último amor”

Segundo Sergei Cobra Arbex, advogado das vítimas do ex-médico, a decisão dos desembargadores será "como uma prisão perpétua". (Com Estadão Conteúdo).

Fonte: VEJA SÃO PAULO