cidade

Justiça manda soltar empresário que atropelou dez pessoas na Vila Madalena

Sulivan Cândido de Oliveira estava detido desde domingo (23); ele responde por lesão corporal culposa (sem intenção) e embriaguez ao volante

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Motorista atropela cerca de nove foliões em bloco de Carnaval na Vila Madalena
Nove foliões que participavam de um bloco de Carnaval na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, foram atropelados, na noite deste domingo (23).  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

O empresário Sulivan Cândido de Oliveira, que atropelou dez pessoas no último domingo (23) durante a passagem de um bloco de Carnaval na Vila Madalena, obteve um alvará de soltura na noite desta terça-feira (25), expedido pela 1ª Vara Criminal de Pinheiros.

+ Carro de atropelador está irregular há três anos e tem quinze multas

+ Não vou falar a favor dele, diz mãe de atropelador da Vila Madalena

Preso em flagrante no domingo, após o incidente ocorrido na esquina das ruas Fidalga e Aspicuelta, o empresário estava detido no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros. Ele responde por lesão corporal culposa (sem intenção de matar) e embriaguez ao volante. A reportagem não conseguiu localizar o advogado de Oliveira.

Imagens captadas pelas câmeras de segurança de um dos bares da esquina mostram que o motorista deu ré bruscamente e depois acelerou, atingindo dez pessoas. Ninguém teve ferimentos graves. Após o incidente, o público tentou linchar o empresário e sua esposa e depredou a Pajero que ele dirigia.

 O carro circulava irregularmente desde 2011 e tinha pelo menos quinze multas de trânsito. A maioria das infrações é por excesso de velocidade.

Sem interdição

Segundo a CET, o bloqueio das vias no domingo foi parcial e ocorreu somente durante a passagem dos blocos. Na hora do acidente, por volta das 19h40, a maioria já havia dispersado e a prefeitura avaliou que não havia mais necessidade de interdição.

Mais de dez blocos desfilaram na Vila Madalena no fim de semana, entre eles o Nóis Trupica mais num Cai, Rolezinho da Negona e o Ó do Borogodó. Juntos, reuniram cerca de 9 mil pessoas - fora os clientes dos bares da região, que costumam lotar as calçadas nos fins de semana.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO