Protestos

Justiça manda libertar manifestantes presos em ato contra a Copa

Rafael Lusvarghi e Fábio Hideki Harano foram detidos no dia 23 de junho; perícia comprovou que os dois não portavam materiais explosivos

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM

O juiz da 10ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, Marcelo Matias Pereira, determinou na tarde desta quinta-feira (7) a soltura do professor de inglês Rafael Lusvarghi, de 26 anos, e do estudante e funcionário da Universidade de São Paulo (USP) Fábio Hideki Harano. Apontados pela polícia como líderes de grupos black bloc - que promovem a depredação como forma de protesto - os dois participaram de uma manifestação contra a Copa na região da Avenida Paulista e foram presos em flagrante após o ato, no dia 23 de junho.

A decisão de Pereira saiu dias após a perícia feita pelo Instituto de Criminalística e pelo esquadrão antibombas da Polícia Militar comprovar que Lusvarghi e Harano não portavam materiais explosivos. De acordo com o laudo, nada que estava na mochila dos manifestantes - um pote de achocolatado vazio era um dos itens - poderia provocar incêndios ou representava qualquer ameaça à integridade dos policiais ou das demais pessoas.

O porte de materiais inflamáveis e coquetéis molotov era um dos principais argumentos da denúncia oferecida pelo Ministério Público.Questionada no início da semana, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que a denúncia contra Lusvarghi e Harano não se baseia "apenas em objetos encontrados com ambos".

+ Confira o que acontece na cidade

Manifestantes divulgaram nas redes sociais os vídeos das prisões. Confira:

Rafael Lusvarghi

Fábio Hideki Harano

Fonte: VEJA SÃO PAULO