Criminalidade

Justiça recebe denúncia contra casal acusado de matar zelador

Laudo confirma que Jezi Lopes de Souza foi esquartejado em 17 partes; novos exames foram pedidos para identificar a causa da morte

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

A Justiça recebeu a denúncia do Ministério Público contra o publicitário Eduardo Tadeu Pinto Martins e a advogada Ieda Cristina Martins. Eles são acusados pela morte do zelador Jezi Lopes de Souza, que teve o corpo esquartejado e parcialmente queimado.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) constatou que Souza foi cortado em 17 partes. Entretanto, não foi possível identificar ainda a causa da morte, como pancada ou asfixia. Por conta disso, exames complementares foram solicitados.

+ Homem morre após capotar carro e trocar tiros com a PM

De acordo com a denúncia do promotor Eduardo Luiz Michelan Campana, o casal praticou o crime por motivo torpe, utilizando recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ocultar e destruir parte do cadáver.

Ainda de acordo com a denúncia de Campana, Martins agiu por vingança por causa de desentendimentos anteriores com Souza. Para a promotoria, Ieda sabia da intenção do marido de matar o zelador e, com isso, prestou apoio moral, prometendo ajuda e orientação para ocultar o cadáver.

+ Dois pichadores são mortos pela Polícia Militar dentro de prédio

A Justiça rejeitou alguns delitos conexos. Entretanto, a promotoria acredita que a decisão não afeta a denúncia. Apesar disso, entrou com recurso e aguarda um novo posicionamento.

Prisões

Martins confessou ter matado e esquartejado o zelador, mas sempre negou o envolvimento da mulher, a advogada Ieda Cristina Martins. Ambos estão presos.

O advogado do casal, Marcello Primo Muccio, disse que Martins está no Presídio de Tremembé. Já Ieda segue detida no Rio de Janeiro, onde ela é investigada pela morte do ex-marido, o empresário José Jair Farias. O crime aconteceu em 2005. De acordo com Muccio, a advogada aguarda em um presídio em Bangu a transferência para São Paulo.

+ Entregador de pizza morre depois de ser baleado

Os dois tiveram a prisão preventiva decretada em São Paulo. Na denúncia apresentada pelo Ministério Público, Martins consta como executor e Ieda como partícipe do homicídio.

O caso

O crime aconteceu no dia 30 de maio, na Rua Zanzibar, na Casa Verde, Zona Norte da capital. Souza trabalhava havia cinco anos no condomínio. As câmeras de segurança do elevador do Edifício Oklahoma mostram o zelador chegando ao 11º andar com correspondências na mão por volta das 15h30. Depois disso, ele não é mais visto no prédio.

Com a ajuda de amigos e familiares, a supervisora Sheyla Viana de Souza, de 27 anos, procurou o pai no edifício, mas não encontrou. Dessa forma, chamou a polícia. Uma moradora escutou uma discussão por volta das 15h30, mesmo horário do desaparecimento.

Ela informou ainda que um dos moradores do 11º andar não tinha um bom relacionamento com Sousa. Por volta das 17h de sexta, o publicitário e a mulher foram flagrados pelo circuito interno arrastando uma mala e um saco plástico até o carro.

+ Confira o que acontece na cidade

Martins foi preso em flagrante na casa do pai, em Praia Grande, o dia 2 de junho. Para a polícia, ele confessou o crime e disse que a mulher não participou.

Fonte: VEJA SÃO PAULO