Protestos

Jovem suspeito de agredir coronel tem liberdade provisória concedida

Paulo Henrique dos Santos está preso desde o dia 25 de outubro. Pela decisão do juiz, ele não poderá participar de nenhuma outra manifestação

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

O jovem Paulo Henrique dos Santos, de 22 anos, preso desde o dia 25 de outubro sob suspeita de ter sido um dos agressores do Coronel Reynaldo Simões Rossi, teve a liberdade provisória concedida nesta quinta-feira (7).

+ "Não sou herói", diz coronel da PM agredido em manifestação no centro

Em sua decisão, o juiz Alberto Anderson Filho afirmou que, como o Ministério Público não apresentou denúncia, a liberdade provisória seria concedida. Paulo Henrique terá de comparecer mensalmente em juízo para informar e justificar suas atividades e endereço. Além disso, o jovem precisa se comprometer a não participar de atos ou manifestações públicas, não frequentar bares, casas noturnas, locais de reunião e aglomeração de pessoas, exceto a faculdade que está cursando.

O pedido de habeas corpus já havia sido negado três vezes. “Não tem sentido ficar mais tempo preso porque não havia uma acusação. E não tem uma acusação porque não tem como provar. No vídeo aparece que ele não agrediu o coronel”, afirma o advogado advogado Guilherme Braga.

Paulo Henrique foi detido durante a manifestação do dia 25 de outubro porque, segundo a Polícia, aparece no vídeo que registra o momento em que o coronel é agredido. Sua defesa afirmou, porém, que em nenhum momento ele agride de fato o policial. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO