Política

José Genoino é internado em hospital em São Paulo

O ex-deputado federal condenado no processo do mensalão chegou ao centro médico na Vila Mariana na manhã desta quarta (15)

Por: Veja São Paulo

José Genoino
José Genoino está internado no Hospital Santa Cruz, na Vila Mariana (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

O ex-deputado federal condenado no processo do mensalão, José Genoino, foi internado nesta quarta (15) no Hospital Santa Cruz, na Zona Sul de São Paulo. O ex-presidente do PT chegou ao centro médico na Vila Mariana por volta das 10h. Ele foi encaminhado para o quarto por volta das 14h.

+ PF apreende carros de luxo de Fernando Collor

A assessoria de imprensa do hospital informou que a família de Genoino não autorizou a divulgação sobre o estado de saúde ou o motivo da internação do paciente.

Em julho de 2013 Genoino foi submetido a uma cirurgia no coração no Hospital Sírio Libanês. Condenado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção ativa no processo do mensalão, o político começou a cumpri a pena de quatro anos e oito meses em novembro do mesmo ano. Na época, ele passou mal no presídio da Papuda, precisando ser internado.

+ Polícia Federal marca interrogatório de Marcelo Odebrecht

Em janeiro de 2014, ele pagou multa de cerca de 670 000 reais, após uma vaquinha organizada por correligionários.

Em março desta ano, o Plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu por unanimidade extinguir a pena do ex-deputado. Os ministros consideraram que o petista cumpriu os requisitos que permitem que seja beneficiado pelas regras previstas no decreto de indulto natalino assinado pela presidente Dilma Rousseff em 2014.

+ Manifestantes distribuem adesivos para apoiar a Operação Lava-Jato

Na época, Genoino estava em prisão domiciliar por ter conseguido abater parte da pena e cumprido o mínimo de um sexto da reclusão, o que garantiu a ele o direito a progressão de regime do semiaberto para o aberto.

+ Confira as principais notícias da cidade

O indulto assinado pela presidente Dilma Rousseff é um benefício que avalia um conjunto de exigências para perdoar definitivamente as penas de parte da população carcerária. De acordo com o Tribunal de Justiça do DF, o benefício normalmente é concedido a detentos com bom comportamento, paraplégicos, tetraplégicos, portadores de cegueira completa, mães de filhos menores de 14 anos e para quem cumpriu parte da pena em regime fechado ou semiaberto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO