Economia

Lemann ganhou em um ano 3,86 milhões de reais por hora

Empresário é o homem mais rico do Brasil, segundo ranking divulgado pela revista Forbes

Por: Veja São Paulo

Jorge Paulo Lemann
Jorge Paulo Lemann: fortuna de 25 bilhões de dólares (Foto: Alan Marques/Folhapress)

Aos 75 anos, Jorge Paulo Lemann viu sua fortuna saltar de 49,85 bilhões de reais em 2014 para 83,70 bilhões de reais em 2015, segundo balanço divulgado pela revista Forbes Brasil. Isso significa que o homem mais rico do Brasil obteve em um ano um ganho de 3,86 milhões de reais por hora.

+ Jorge Paulo Lemann lidera o ranking dos bilionários brasileiros

Lemann ocupa agora a 26ª colocação na lista dos homens mais ricos do mundo. Além de possuir participação na Ambev, o empresário é sócio do grupo de investimentos 3G Capital Partners, que possui marcas como Burger King, Heinz e Budweiser.

Recentemente, Lemann comprou com Abilio Diniz uma rede paulistana de padarias. A linha de frente dos brasileiros mais ricos conta ainda com Marcel Telles e Beto Sicupira, que praticamente duplicaram suas fortunas desde o ano passado — em boa parte, na carona da alta do dólar, já que gorda fatia de seus investimentos está fora do país.

O ranking da Forbes dos bilionários brasileiros conta com 160 nomes que juntos somam um patrimônio de 806,66 bilhões de reais - cifra equivalente a quase 15% do PIB do país no último ano.

+ Abilio Diniz e Jorge Lemann compram rede de padarias Benjamin Abrahão

Confira os dez primeiros colocados da lista:

1º Jorge Paulo Lemann - 83,70 bilhões de reais

2º Joseph Safra - 52,90 bilhões de reais

3º Marcel Herrmann Telles - 42,26 bilhões de reais

4º Carlos Alberto Sicupira - 36,93 bilhões de reais

5º João Roberto Marinho - 23,80 bilhões de reais

6º José Roberto Marinho - 23,80 bilhões de reais

7º Roberto Irineu Marinho - 23,80 bilhões de reais

8º Eduardo Saverin 17,53 bilhões de reais

9º Marcelo Odebrecht e família - 13,10 bilhões de reais

10º Abilio dos Santos Diniz - 12,83 bilhões de reais

+ Confira as principais notícias da cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO