Paulistanas Nota Dez

Mulheres unem forças para ensinar balé a crianças da Cracolândia

Elas oferecem atividades como balé, jiu-jítsu, futebol e música a menores que vivem na região

Por: Gabriel Bentley - Atualizado em

 

Projeto Novos Sonhos Cracolândia Paulistanas nota dez
Joana e Soraya: na sala onde as aulas de balé são ministradas (Foto: Ricardo D'Angelo)

Em 2009, a então universitária Joana Rodrigues deixou a Bahia com a intenção de passar um mês em São Paulo colaborando com a mãe, Soraya Machado, em um programa de auxílio a dependentes de drogas na Cracolândia. Entre os usuários da região, surpreendeu-se ao descobrir Élen, de apenas 12 anos. “Foi um choque ver uma criança pedindo socorro”, lembra. O encontro fez sua vida virar do avesso.

Leandro Ribela ensina esqui para crianças de baixa renda

Joana decidiu deixar não só o curso de enfermagem como um noivado no Nordeste para se estabelecer na capital. Aqui, ao lado da mãe, criou, no mesmo ano, o projeto Novos Sonhos, que oferece atividades físicas e culturais a menores abandonados e filhos de viciados. A iniciativa é apoiada pelo grupo beneficente evangélico Junta de Missões Nacionais e pela Igreja Batista Jardim Morada do Sol, responsáveis pelo pagamento do aluguel da “Casa dos Sonhos”, o sobrado na Rua Vitorino Carmilo, nos Campos Elíseos, onde a ONG atende 500 crianças em sessões de balé, futebol, jiu-jítsu e música.

Projeto Novos Sonhos Cracolândia
Com 500 crianças no projeto, Novos Sonhos agora busca um espaço maior para atender mais crianças (Foto: Ricardo D'Angelo)

Com orçamento mensal de 35 000 reais, usados para a compra de uniformes e materiais, a instituição é mantida principalmente por meio de colaborações e doações espontâneas. Há ainda uma perua Kombi com algumas décadas de uso para buscar os alunos. “Às vezes, ela quebra e não conseguimos transportá-los”, lamenta Joana, que está à procura de recursos para ampliar seu trabalho.

Banco de Lenços ajuda mulheres que enfrentam quimioterapia

“No momento, não temos condições de acolher mais jovens por falta de espaço.” Como os professores são voluntários e nem sempre é possível preencher todas as vagas, a hoje formada enfermeira teve de calçar a sapatilha. “Aprendi passos de balé para ministrar aulas”, conta. Duas de suas pupilas, Beatriz e Hilda, de 11 e 12 anos, disputaram, em 2014, a seletiva para uma vaga na prestigiada Escola do Teatro Bolshoi, em Joinville, em Santa Catarina. “Queremos que essas crianças continuem sonhando, apesar da realidade em que vivem”, diz Soraya.

Ficou interessado em ajudar? Clique aqui ou ligue para (11) 96342-4890.

Nome: Joana Rodrigues e Soraya Machado | Profissões: enfermeira e psicóloga | Atitude transformadora: oferecem atividades como balé, jiu-jítsu, futebol e música a menores que vivem na região da Cracolândia

Fonte: VEJA SÃO PAULO